PROMOTOR PEDE IMPUGNAÇÃO DO PREFEITO DE INGAZEIRA

Em nota da sua Assessoria de Imprensa ao blog, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), através do promotor de Justiça Leôncio Tavares, informa que ingressou com Ação de Cassação de Registro de Candidatura ou Diploma contra o prefeito de Ingazeira (Sertão) e candidato à reeleição, Luciano Torres Martins. O integrante da coligação “Ingazeira é de Todos” é acusado de abuso de poder político e ato de improbidade administrativa por ter usado a máquina e o dinheiro públicos na tentativa de comprar votos. Martins teria efetuado depósitos de verba pública na conta bancária de eleitores sem vínculos empregatícios com o município em troca de votos, além de promover contratações irregulares pela gestão com a mesma finalidade.

O promotor explica na ação que a iniciativa do MPPE surgiu após receber denúncia de uma eleitora, informando que o município depositou R$ 572,24 em sua conta bancária. Ela apresentou um extrato que confirma o depósito, feito em 18 de julho, e ainda relatou que, após o depósito, o secretário de Administração da cidade entrou em contato para informá-la que a quantia deveria ser dividida com outro eleitor e que outros depósitos seriam feitos, caso ela votasse no candidato.
Na denúncia também foi relatado que outras três pessoas teriam recebido verba pública para compra de votos. De acordo com a própria prefeitura, esses eleitores não ocupam cargos, empregos ou funções públicas nem são credores do município, não havendo justificativa para a realização dos pagamentos. Outra irregularidade citada na ação foi a contratação pelo município de eleitores residentes em São Paulo, que teriam seus salários recebidos por terceiros em troca de seus votos. Também consta no documento o caso de uma contratada que não realiza os serviços, prestados por outra pessoa, com quem o salário é divido.

Diante dos fatos, o promotor solicitou que o Banco do Brasil e o Bradesco de Afogados da Ingazeira, cidade vizinha, sejam oficiados para que anexem à ação uma lista com os pagamentos de pessoas físicas do município de Ingazeira desde o registro da candidatura de Martins nas eleições 2012. O representante do MPPE também requereu a realização de audiência de instrução com o candidato e as testemunhas indicadas por ele.
Por Nill Júnior