Estatísticas demonstram que violência cresceu na cidade de Triunfo-PE

O efetivo diário do município inteiro são dois PMs rondando na viatura
Não adianta querer mais tapar o sol com a peneira, está provado e comprovado que no período de 2015 para início de 2016 a criminalidade cresceu assustadoramente no município de Triunfo, se comparado aos anos anteriores quando o ilusório programa "Pacto Pela Vida" (PPV), do Governo de Pernambuco parecia funcionar com plenitude. Agora praticamente falido, assim como o Estado, a bela cidade turística denominada "Oásis do Sertão" e reconhecida como uma das mais tranquilas do Brasil, começa a experimentar atos de violência quase igual aos que assolam o restante deste País - desgovernado e envolvido em crise política, administrativa, ética e moral, quase generalizada - parecendo um pesadelo, envolvendo a sede e os distritos de Canaã e Jericó.
A situação está tornando-se a cada dia mais crítica e delicada na área de segurança pública local, despertando críticas contundentes que respingam as representações locais temerosas de serem também responsabilizadas e sempre procurando "tirar o corpo fora", como se não fosse obrigação constitucional o zelo integral pelos munícipes.Tem-se constatado crimes violentos contra o patrimônio ( roubos, extorsões, furtos, estelionatos, vandalismos) e também contra a pessoa ( homicídios, estupros, atentados, agressões, tráfico de drogas) abertamente como se normal fosse, perante a inerte e conivente maioria da população e desafiando a legislação vigente.O sentimento de medo é grande e providências nenhuma.
Esse policiamento figurativo acontece somente em grandes eventos
Há tempos não se via tamanha evolução da marginalidade e intensa morosidade do limitado policiamento Civil e Militar, desestimulado por natureza (salvo alguns atuantes membros, verdadeiros profissionais que não se dobraram ainda à crescente bandidagem e por isso são vistos como intransigentes). Muitos estão somente preocupados nas atividades pessoais indevidas pela função ocupada, não conseguindo enxergar o dever e a responsabilidade de defender acima de tudo a sociedade, esquecendo o juramento feito na ocasião da posse no serviço público, agindo assim negativamente.É a população reclamando a ausência das polícias nas ruas e o aumento da violência ocupando um dos temas mais abordados nas rede sociais.
Começou-se a notar, sem dúvida alguma, a sensação de insegurança entre os pacatos e ordeiros moradores.Reflexo de incidentes de crimes violentos que ocorreram no transcorrer do ano alcançando repercussões negativas na mídia, que terminaram prejudicando a imagem do lugar, mais alto, mais belo e de melhor clima do Estado. A realidade é que a política de segurança pública precisa de ajustes profundos e urgentes no município a começar no combate de assassinatos, tráficos e assaltos. São tendências perigosas realizadas geralmente com utilização de motocicletas.No entanto a Delegacia de Polícia não dispõe mais de delegado fixo e nem equipe suficiente em plantões.Como pode investigar? O efetivo diário da Companhia da PMPE, também é simplesmente ridículo: dois militares na viatura.Como fazer para agir? A verdade é que Triunfo e distritos estão entregues às baratas. E ninguém faz nada?
Diante os últimos acontecimentos sequenciados nesta primeira semana do Ano Novo, com a morte do vereador Lucimar Feitosa Ventura (PSB), o atentado ao sindicalista Gildenilson Nunes Magalhães (Nilson do Sindicato) e tentativa ao candidato a prefeito do PV, advogado Williams Terto Carneiro ( Terto), detentores de intensa exploração na mídia nacional, estadual e regional, espera-se que o governador Paulo Câmara determine ao Secretário de Defesa Social (SDS), Alessandro Carvalho, enviar uma equipe especializada para atuar em Triunfo, assim como fez anteriormente no vizinho município de Serra Talhada, obtendo 90% de êxito no combate à violência que estava solta, inclusive comprovando o envolvimento de pseudo-policiais militares destacados na localidade que davam total cobertura aos atos desabonadores.. 
Por Carlos Ferraz

Share/Bookmark

0 comentários: