Comandante do 23º BPM fala sobre os desafios no novo posto

Na semana passada, o 23º Batalhão da Polícia Militar, sediado na cidade de Afogados da Ingazeira ganhou um novo comandante, o Tenente Coronel FÁBIO CÉSAR DE SOUZA LINS. Em entrevista exclusiva ao Repórter do Pajeú, Itamar França, o novo Comandante falou sobre os desafios no novo posto.
CONTINUIDADE DA GESTÃO DO CEL FLÁVIO MORAES
Nosso objetivo é dar continuidade a forma de gestão que o Coronel Flávio Moraes implantou no 23º BPM, não podia ser diferente disso, ou seja, não podemos mexer no que está dando certo, o 23º BPM e a AIS-20, no Estado de Pernambuco é destaque pela atuação em 2015, inclusive conseguindo bater metas internacionais, como a meta da ONU, então isso é uma atributo relevante para que nós possamos dar continuidade, algumas melhorias nós vamos tentar fazer no que for possível.

MÉTODO DE TRABALHO
Temos um método de trabalho bem parecido com aproximação com a comunidade, nós gostamos de trabalhar junto com a comunidade ouvindo sugestão, denúncias, das pessoas que têm compromisso com a segurança pública, isso na realidade é uma forma de trabalhar, atacando os focos de criminalidade, onde existe algumas situações de drogas, armas de fogo e de pessoas que esteja a margem da sociedade, esse é nosso objetivo, apesar de a população do Pajeú ser ordeira.
CRIMES REGISTRADOS NA ÁREA DO 23º BPM
Estamos fazendo o trabalho de prevenção, estávamos a quase trinta dias sem registro de homicídio na área do 23º BPM, quero adiantar que os homicídios que houveram foram difíceis de se combaterem por serem de proximidade, situações passionais, em que a polícia não tem como estrar dentro de uma casa e evitar que um homicídio aconteça ali, essa ano tivemos 15 homicídios, sendo que dez pessoas foram presas, ou seja, houve uma resposta por parte da polícia, isso serve de exemplo para as pessoas que pensam em cometer crimes, então quero registrar que não houve impunidade na sua totalização.

MUDANÇA NOS COMANDOS DE COMPANHIAS
Em time que está ganhando não se mexe, se porventura houver alguma mudança posterior, não é por conta de inoperância, incompetência, é por situação administrativa, por exemplo, se chega um capitão ou uma major ou outro oficial novo no batalhão, poderá haver mudança, na realidade a gente vai evitar que isso aconteça.

PERMANÊNCIA DO SUBCOMANDO
Meu subcomandante continua o major Robério, pessoa a quem estimo demais profissionalmente, além disso é um amigo, o seu profissionalismo é algo notório no estado eu tive um grande prêmio, está aqui comandando o Pajeú, continuo a dizer que gosto de trabalhar com a comunidade, segurança é uma obrigação nossa, precisamos que a sociedade denuncie porque a polícia não tem bola de cristal.

O QUE A TROPA DEVE ESPERAR DO NOVO COMANDANTE?
Primeiramente respeito, isso porque respeito muito a tropa da PMPE em geral, principalmente a tropa do 23º BPM porque é muito bem disciplinada, Operacional, se existe algumas distorções é uma coisa mínima , mas nós sabemos e já convivemos aqui em tempos remotos eu quero que a tropa confie no comando do 23º BPM, em mim e no major Robério, tenho aprendido muito nesses 26 anos de polícia com o soldado que está na rua, e chamo de companheiro, porque foram nas horas mais difíceis porque fui homem de rua, de combate, e naquele momento sempre contei com meu soldado, então eu valorizo muito a tropa.
Itamar França

Share/Bookmark

0 comentários: