Policiais acusados de tortura e homicídio contra adolescentes em 2006 são absolvidos em PE

 Durante o depoimento, uma das vítimas afirmou que não. reconhecia nenhum dos três suspeitos. Foto: Anderson Stevens/Folha de PE.
Os três policiais militares acusados de torturar e matar adolescentes no Carnaval de 2006 foram absolvidos. O resultado do julgamento foi informado pela assessoria do Tribunal de Justiça do Estado (TJPE) no início da noite dessa terça-feira (12). A quantidade de votos a favor da absolvição e contrários não será informada conforme a Justiça.
Edvaldo Coelho Pereira Magalhães, Thiago Jackson Araújo e Weldes Felipe de Barros Silva responderam por dois homicídios e 12 tentativas de homicídio.
A sessão do 1º Tribunal do Júri da Capital teve início por volta das 10h no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, na área Central do Recife. O júri, presidido pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti, foi composto por sete pessoas, sendo seis mulheres e um homem.
Durante o depoimento, uma das vítimas afirmou que não reconhecia nenhum dos três suspeitos. A identidade do rapaz não foi revelada.
O caso
Em denúncia realizada em 28 de fevereiro de 2006, os policiais teriam obrigado 14 adolescentes a atravessarem a nado o rio Capibaribe. Os jovens foram ameaçados com revólver, a partir da Ponte Joaquim Cardoso, na Ilha Joana Bezerra. Dois menores não sabiam nadar, Diogo Rosendo Pereira e Zinael José da Silva. Eles morreram afogados.
Primeiro julgamento
No dia 20 de maio de 2015, houve o primeiro julgamento em que foram condenados os policiais Aldenes Carneiro da Silva, José Marcondi Evangelista e Ulisses Francisco da Silva. A pena determinada foi de a 96 anos de prisão cada um. O policial Irandi Antônio da Silva foi absolvido.
O tenente Sebastião Antônio Felix foi acusado de comandar o grupo e obteve uma condenação de 150 anos e seis meses de reclusão em 14 de julho de 2015. Todos recorreram da sentença e respondem ao processo em liberdade.
Âncora do sertão

Share/Bookmark

0 comentários: