Nordeste: Quanto vale uma menina de 12 anos? Investigação denunciou a realidade de muias crianças e adolescentes

Quanto vale uma menina de 12 anos? Em Sergipe, pais negociaram a virgindade da própria filha com um homem de 57 anos em troca de uma vaca. O Repórter Record Investigação desta quinta-feira (12) revelou esta e outras histórias chocantes de meninas que são exploradas e se somam às quase 90 mil crianças que estão casadas no Brasil.
Em São Cristovão, cidade histórica de Sergipe, com quase 90 mil habitantes, criança tem preço. Na cidade, pessoas, inclusive autoridades, alugam chácaras com piscina pra passar finais de semana com adolescentes.
A menina, de mãos pequenas e de aparência frágil, foi vendida pelos próprios pais, exatamente aos doze anos e virgem.
José do Anjos, o comprador, 44 anos mais velho que a menina, o comerciante se defende: "Foi ela que se insinuou pra mim!" Ele tem uma vida simples. Não é rico, mas diante da situação financeira da maioria na cidade, é considerado por alguns como poderoso.Pelo menos duas vezes por semana, José dos Anjos tirava proveito da filha de José Carlos, um pequeno agricultor da cidade.
José dos Anjos / Crédito: Reprodução/R7
Foram no mínimo oito meses de violência até que o comerciante foi preso. No dia da prisão, há dois anos, José dos Anjos agiu como se não tivesse feito nada de errado.
A família da menina contou que eles eram ameaçados pelo comerciante. Quando José dos Anjos foi preso, a mãe da jovem estava tão apavorada que não quis mostrar o rosto.
Segundo o juiz de São Cristovão, a menina é mais uma vítima de uma visão preconceituosa e ultrapassada que ainda sobrevive. Ele conta que já evitou vários leilões de virgens. — Duas adolescentes, uma de 12, outra de 14 anos, foram vendidas a dois comerciantes. Virgens! Nós conseguimos chegar num sábado à tarde, 5h da tarde, e impedir a consumação.
A menina trocada por uma vaca não teve a mesma sorte. A Justiça não chegou a tempo. José Carlos e Dona Maria têm seis filhos. A adolescente, que foi vítima de abuso, é a mais velha e agora está com 14 anos. São oito bocas pra sustentar com a venda de vassouras de piaçava, que rende no máximo mil reais mensais.
A garota diz que a história que foi vendida para um homem não é verdadeira. "A história da vaca nunca aconteceu, eles inventaram. Não teve o comércio da vaca", afirma.
Mas não é isso que mostra o processo, que o programa obteve com exclusividade. Nele, o conselheiro tutelar Douglas Santana afirma que José Carlos, o pai da vítima, ganhou uma vaca do abusador.
O que não resta dúvidas é que os pais acabaram aceitando o abuso contra a filha. A mãe flagrou o que aconteceu e contou para o marido, mas ele não fez nada pela menina porque ela perdeu a virgindade. Na mentalidade dele, a garota não merecia mais ser protegida.
Para evitar a fuga da filha, ele até permitiu que a casa fosse construída no quintal das terras dele. O conselho tutelar afirma que a menina está grávida e investiga se ela continua sofrendo abusos sexuais
Segundo a organização Promundo, que fez uma pesquisa sobre "casamento na infância e adolescência no Brasil ", o país ocupa o quarto lugar no mundo em número de crianças casadas. São 66 mil meninas com idades entre 10 e 14 anos vivendo em uniões informais, 2600 crianças casadas oficialmente em cerimônias religiosas ou cartórios e por volta de 500 mil meninas que casaram aos 17 anos.
De acordo com a pesquisa, são cinco fatores que levam crianças a se casarem. Um deles é a imposição da própria família quando descobre que a filha engravida e/ou tem uma vida sexual ativa, mesmo a contragosto, como no caso da menina trocada pela vaca. Outro motivo seria garantir uma vida estável para as garotas e a família.
Depois da reportagem do Repórter Record Investigação, o pai da menina foi misteriosamente assassinado. A informação da polícia é que quatro homens apareceram, mandaram os filhos para dentro de casa e o mataram com um tiro na cabeça. Nada foi roubado. Os investigadores agora querem descobrir o real motivo do assassinato.
Crédito: Reprodução/Record/ Por R7

Share/Bookmark

0 comentários: