As 5 famílias que controlam o mundo

Acredita-se que no Renascimento modelos políticos e econômicos levaram à criação de entidades financeiras que hoje são as corporações mais poderosas do planeta.
No entanto, para além da rede político-empresarial e por trás das corporações, existe um núcleo forte, base do poder hegemônico, que se perpetra quase exclusivamente de modo filial: são as famílias que controlam o mundo.
Os Rothschild: embora muitos afirmem que eles possuem antecedentes quase ancestrais, é possível identificar o começo oficial dessa dinastia em meados do século XVIII, chefiada pelo banqueiro alemão de origem judaica Mayer Amschel Rothschild, chamado pela revista Forbes como “o pai fundador das finanças internacionais”. Desde então, o clã se mantém na cúpula da oligarquia planetária e possui uma influência determinante na Reserva Federal dos EUA, assim como nas finanças britânicas.
Os Rockefeller: este império começa no final do século XIX, quando a consolidação da Standard Oil Company colocou a família à frente de uma indústria petrolífera nascente. John D. Rockefeller, o primeiro da dinastia, foi considerado o homem mais rico da história pela revista Forbes, com uma fortuna equivalente, hoje, a US$ 340 bilhões. A família se perpetuou nos círculos de poder mais ambiciosos e tem influência em praticamente qualquer política mundial.
Os Morgan: também no final do século XIX, John Pierpont Morgan fundou a J.P. Morgan & Company, empresa financeira que protagonizou a história econômica dos EUA e, por consequência, do mundo. Esse banqueiro é considerado o salvador da economia norte-americana ao liderar um movimento de banqueiros para vender títulos e voltar a comprar ouro, evitando, assim, o colapso das reservas nacionais. Desde então, a família Morgan controla a oferta de ouro do seu país.
Os Du-Pont: o economista Pierre Samuel du Pont de Nemours chegou aos EUA em 1799, fugindo da Revolução Francesa. Ele, então, fundou sua empresa, que não demorou muito tempo para se erguer como a principal fornecedora de pólvora do governo, para, mais tarde, monopolizar o mercado de dinamite. Ele forneceu 40% do armamento dos Aliados da Primeira Guerra Mundial. Du Pont também esteve envolvido no Projeto Manhattan, que levou à criação da bomba atômica.
Os Bush: a mais nova família da elite mundial iniciou seu legado com Prescott Sheldon Bush, banqueiro e senador americano que foi acusado, junto com o governo dos EUA, de ter lucrado escandalosamente com a Segunda Guerra Mundial e ter feito grandes negócios com as empresas que financiaram o governo de Adolf Hitler. O jornal britânico The Guardian realizou uma investigação sobre a teoria.
Fonte e imagens: pijamasurf.com , The Guardian
Imagem destaque: Eric Draper, Diretor de Fotografia e Fotógrafo Pessoal do Presidente George W. Bush [Domínio Público], via Wikimedia Commons

Share/Bookmark

0 comentários: