Campanha Católica na internet alerta que “demônio agirá por meio da Globo”

Cena de sexo gay em "Liberdade, Liberdade" vai ao ar dia 12 de julho
A Rede Globo exibirá no próximo dia 12 a primeira cena de sexo entre dois homens das telenovelas brasileiras. A cena de Liberdade, Liberdade, novela das onze, mostrará os atores Ricardo Pereira e Caio Blat em “Uma transa urgente, adiada, bruta e tão ansiada”, segundo explicou o autor do folhetim, Mario Teixeira.
De acordo com o Notícias da TV, é a quinta vez que a emissora mostrará cenas de intimidade entre pessoas do mesmo sexo. O primeiro beijo gay ocorreu na novela Amor à Vida, em janeiro de 2014. O final da novela “Em Família”, no mesmo ano, apresentou um beijo lésbico numa cena de casamento gay.
Em março de 2015, foi ao ar uma cena de beijo entre duas mulheres idosas em Babilônia. Meses depois, na minissérie Felizes para Sempre? (2015), foi exibido o encontro sexual de duas mulheres.
Para Maria Immacolata Vassallo de Lopes, coordenadora do Centro de Estudos de Telenovela da ECA de São Paulo, uma cena de sexo gay mostra que “as novelas estão avançando no tema” e que ela é “oportuna” no atual momento social.
Reação nas redes sociais
Se em outros momentos os evangélicos usaram as redes sociais para protestar contra a Globo e fazer campanhas de boicote, desta vez a maior iniciativa foi de católicos. O grupo Paraclitus fez duras críticas sobre a emissora em sua página no Facebook.
“Está na hora de deixar de assistir [a Globo]. O demônio agirá por meio dessa emissora. Você católico não pode servir a dois senhores (Deus e o demônio)”, afirma a imagem que foi compartilhada cerca de 6 mil vezes nas 12 primeiras horas. Os comentários mostram que existe uma forte divisão de opiniões entre os católicos.
Campanha em fanpage católica.
Os responsáveis pela página que tem quase dois milhões de seguidores escreveram ainda: “Uma nação cristã não pode se calar diante desta promoção de atos abomináveis aos olhos do Nosso Deus. Deus ama o pecador (a pessoa), mas abomina o pecado (a ação)”.
Uma porcentagem considerável dos comentários mostra que as pessoas não concordam com a posição da página, usando argumentos como o uso do discurso de ódio e a homofobia. Como é comum, houve troca de ofensas entre comentaristas.
O número alto de compartilhamentos mostra, contudo, que a campanha está chamando atenção. Os administradores da Paraclitus chegaram a pedir que homossexuais e simpatizantes parassem de comentar na página, que é voltada para católicos conservadores.
Até o momento nenhuma personalidade evangélica se manifestou publicamente contra a cena. Em 2012, os evangélicos fizeram campanhas contra a novela Salve Jorge, no ano seguinte atitude similar pedia que os fiéis parassem de assistir a programação da emissora. Dois anos atrás foi a última grande campanha do tipo nas redes sociais.

Share/Bookmark

0 comentários: