Presos abatem gatos para churrasco no interior de penitenciária em PE

Detentos da Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife (RMR), abateram gatos para realizar um churrasco no interior da unidade prisional no último domingo (10). O evento aconteceu no mesmo fim de semana em que um detento foi morto dentro do presídio.
De acordo com o Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária de Pernambuco (Sindasp-PE), a ação aconteceu em um dia de visita, em um local inacessível aos agentes penitenciários. Os corpos dos gatos foram pendurados numa área externa do pavilhão dos presos, com o auxílio de fios.
Por meio de nota, a Secretaria Executiva de Ressocialização de Pernambuco (Seres) informou que o detento responsável pela ação foi identificado e levado à Delegacia de Itamaracá para providências cabíveis. Através de fotos divulgadas pelo Sindasp, no entanto, é possível ver as peles dos animais retiradas e uma série de detentos acompanhando o abate dos felinos.
O presidente do Sindasp, João Carvalho, acredita que os gatos foram jogados por cima do muro já que, das nove guaritas do presídio, apenas três estariam ativadas. Na nota, a Seres não informa como os gatos chegaram à unidade prisional. A pasta também não indica se será tomada alguma medida para evitar a reincidência do fato.
Crise no sistema prisional
A reunião dos presos aconteceu logo após a morte de um dos detentos da unidade penitenciária, registrada na madrugada do domingo (10). O presidiário, um homem de 27 anos, brigou com outro detento e chegou a ser socorrido no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, mas não resistiu.
No sábado (9), os internos da Barreto Campelo também recusaram a comida como forma de protesto. De acordo com a Seres, a manifestação pedia maior agilidade na análise dos processos dos detentos e não teve ligação com os fatos desencadeados ao longo do fim de semana.
Outro preso morreu após confusão na mesma penitenciária no dia 20 de junho. Segundo a PM, houve tiroteio na unidade prisional durante o tumulto, porém a morte do preso foi ocasionada por espancamento a pedradas. No dia 1º de junho, um tumulto no Complexo do Curado, no Recife, deixou dois presos mortos e três feridos.
Em 1º de abril, Thiago Alves de Melo, de 30 anos, que estava preso na Penitenciária Barreto Campelo, foi assassinado por outro interno do local por meio de disparos de arma de fogo, segundo a Seres. Além de apreender o revólver, de calibre 38, a secretaria informou que identificou Adenílson Bezerra da Silva como sendo o detento responsável por alvejar o detento.
Um tumulto ocorrido na Penitenciária Barreto Campelo no dia 12 de abril deixou três presos feridos. Os detentos tiveram ferimentos leves e foram atendidos na enfermaria da unidade prisional, de acordo com a Seres. Na ocasião, a secretaria informou ainda que a direção da unidade abriu um Conselho Disciplinar para apurar os fatos, identificar e punir os responsáveis pela confusão.

Share/Bookmark

0 comentários: