INSS define próxima sexta os procedimentos para a reavaliação dos benefícios por incapacidade pagos há mais de dois anos

Na próxima sexta-feira (26), o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vai definir as agendas e os procedimentos para a reavaliação da capacidade de trabalho dos segurados que recebem algum benefício por incapacidade há mais de dois anos. O objetivo do governo é cortar em até 30% a despesa mensal com os benefícios.
O alvo são os segurados que já estão aptos para alguma atividade profissional e aqueles que tiveram o benefício concedido pela Justiça, mas que não continua incapaz.
Até quinta-feira (25), o INSS vai receber as inscrições dos médicos peritos interessados em participar dos mutirões para avaliar os segurados. Para incentivar a adesão, o governo oferece aos peritos um bônus de R$ 60 por exame.
Durante a semana, os médicos do INSS poderão fazer até quatro exames de reavaliação. Se trabalhar aos sábados, exclusivamente para o pente-fino, a agenda terá 20 exames. Deste modo, por semana, o perito pode receber até R$ 2.400 de extras com as reavaliações.
Entre os 1,6 milhão de auxílios pagos atualmente pelo INSS, cerca de 840 mil são pagos há mais de dois anos, parte deles concedidos por decisão judicial após terem sido negados pelos peritos do instituto. Segundo o governo, os auxílios-doença, pagos há mais de dois anos sem nova perícia, consomem R$ 1 bilhão mensalmente dos cofres do governo. Serão reavaliadas também três milhões de aposentadorias por invalidez, cujo gasto mensal chega a R$ 3,6 bilhões.
As convocações dos segurados que deverão passar pela reavaliação começam em setembro. As gerências regionais do INSS vão definir quais são os postos que abrirão aos sábados.

Share/Bookmark

0 comentários: