Quem realmente é responsável pela crise da Segurança Pública de Pernambuco?

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco – SINPOL tomou conhecimento da nota da Secretaria de Defesa Social em que o Secretário, Alessandro Carvalho, cobra “empenho” às Policias Civil e Militar na prevenção e repressão aos assaltos a ônibus, depois de mais uma noite violenta em que bandidos aterrorizaram passageiros na Região Metropolitana e na Zona da Mata do Estado. Sobre o assunto, manifestamos nossa mais profunda perplexidade e indignação com as palavras do Secretário, pois se há algum responsável pelo aumento da criminalidade, não só nos casos de assalto a ônibus, esse alguém é o próprio Alessandro Carvalho.
Desde que foi efetivado à frente da pasta a insegurança se alastrou a patamares insustentáveis. Os índices de estupros, roubos e furtos, tráfico de drogas e homicídios, por exemplo, são alarmantes e se comparam a números de países em guerra ou estado de exceção. A ineficiência e a má-gestão do comandante da SDS, que não busca soluções para as claras deficiências estruturais e prefere “culpabilizar” vítimas, têm sido determinantes para a construção desse cenário de horror em Pernambuco.
A Polícia Civil, por exemplo, trabalha com um déficit de mais de 60% em seus quadros, o que faz com que delegacias fechem a noite e em finais de semana em todo o Estado. Além disso, sequer fornece coletes a prova de balas e falta até mesmo combustível para a realização das investigações. Inúmeras delegacias funcionam em casas improvisadas e alugadas por valores acima do mercado há anos, o que demonstra total falta de planejamento e atenção com os recursos públicos.
A Diretoria do SINPOL, desde que assumiu há quase 2 anos, vem alertando e cobrando mais investimentos nas estruturas e aos servidores Policiais, para que possam dar a mínima segurança que o povo pernambucano merece. O Governo do Estado, toda via, prefere manter uma pesada e ineficiente estrutura chamada Secretaria de Defesa Social, que consome um terço dos investimentos destinados à segurança com burocracia e regalias desnecessárias.
Para o presidente do SINPOL, Áureo Cisneiros, a situação chegou ao limite. “Não sei o que está havendo para o Governo insistir tanto em manter Alessandro Carvalho no cargo. O pior é que a conta por essa má gestão da segurança pública está sendo paga pelo povo, exposto a uma onda de criminalidade generalizada e crescente. Mas, além disso, é preciso ressaltar que nós policiais também somos vítimas da incompetência do atual Secretário e da indiferença do Governador com o tema. Sofremos com a falta de efetivo – que gera grande sobrecarga física e emocional, trabalhamos em ambientes insalubres e, a grosso modo, sem equipamentos básicos de trabalho”, declara.

Share/Bookmark

0 comentários: