PREFEITURA DE CARNAÍBA

Baleia azul: 8º caso em Pernambuco é o mais grave segundo polícia

A Polícia Civil (PC) de Pernambuco investiga mais um possível caso relacionado ao “jogo” baleia azul, um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida. A mãe de uma jovem de 19 anos, preocupada com os sinais de mutilação da filha, registrou a ocorrência na Delegacia do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, na última quinta-feira (11). Os detalhes foram divulgados em coletiva de imprensa nesta sexta (12), no Centro da capital. Segundo a PC, esta é a oitava ocorrência relacionada ao "jogo" no estado e é considerada a mais grave, pois a vítima estaria na fase final.
De acordo com o delegado do Cordeiro, Carlos Couto, a mãe procurou a polícia após tomar conhecimento de uma postagem de uma foto no Facebook. A imagem foi encontrada pelo tio da vítima, na madrugada da última quarta (10), onde aparece uma menina semi-nua, com sinais de autoflagelações na região do abdômen e pernas. Outras lesões também foram encontradas na região dos punhos.
A mãe disse que a filha não quis mostrar o corpo para que ela confirmasse a suspeita. "Ela resistiu um pouco, mas acabou permitindo, e eu constatei que o corpo dela estava mutilado, mas, de maneira nenhuma, ela confessou, apenas silenciou durante toda a conversa. Eu fiquei horrorizada, apavorada, e de imediato me prontifiquei a procurar a polícia", contou.
Caso mais grave
Segundo o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Kehrle, esta é a ocorrência mais preocupante de todas que já foram notificadas no estado. "Esse caso foi o mais grave dos oito que Pernambuco está investigando porque ela [a jovem] se encontrava na fase final do ‘jogo’. O nome baleia azul é porque o animal, em determinado momento da vida, se suicida. Provavelmente o curador deve, se ela reatar a comunicação, estar ameaçando de alguma forma a mãe, o pai ou ela própria, e ela está, digamos assim, obstinada a cumprir a a última tarefa, que seria o suicídio. Por isso, é um caso gravíssimo, que a gente tem trabalhado com toda cautela e cuidado", explicou.
Kehrle informou que a polícia vai buscar, por meio da Secretaria Estadual de Saúde, atendimento psicológico e psiquiátrico para que a jovem saia definitivamente do 'jogo', algo que ela se recusa.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

0 comentários: