PREFEITURA

xxxxxxxxxxxx

Jovem que sobreviveu a tiroteio em escola: “Fui salvo pela graça de Deus”

Tiro atravessou o pescoço de Rome Shubert, mas não atingiu a espinha por milímetros
Rome Shubert mostra ferida feita pela bala. (Foto: Marie D. De Jesus, Houston Chronicle)
O jovem Rome Shubert, 16 anos, acredita que foi salvo “pela graça de Deus” quando foi atingido por uma bala no pescoço durante o tiroteio na sua escola de ensino médio em Santa Fe, Texas, na última sexta-feira.
Os médicos disseram a Shubert que foi “algo milagroso”, pois ele escapou “por milímetros” quando o projétil atravessou a parte de trás de sua cabeça sem tocar na espinha. O terrível ataque de um aluno da escola contra colegas e professores, deixou 10 mortos e outras 10 pessoas feridas, incluindo Shubert.
Milagrosamente, o estudante está apenas com uma cicatriz. Shubert disse à imprensa que não percebeu que tinha sido baleado. Ele disse que estava na aula por volta das 7h45 quando ouviu um forte estrondo e suas orelhas começaram a zumbir. Ele pulou para debaixo de uma mesa, procurando se esconder até que conseguiu fugir pela porta de trás da sala junto com outros colegas.
Foi um amigo que avisou que Shubert estava sangrando muito. “Eu estava sentado fazendo meu trabalho, e ele entrou disparando”, explica o jovem sobre o atirador Dimitrios Pagourtzis. “Foram três estalos altos, e me escondi. Quando saímos pelos fundos, foi que ouvi meu colega dizer que eu recebi um tiro na parte de trás da minha cabeça “.
Questionado sobre como se sentia por ter sobrevivido sem sequelas, o adolescente deu a glória a Deus. “Definitivamente, foi pela graça de Deus. Havia um anjo sobre mim e Ele está cuidando de mim”, afirmou Shubert.
“Eu sou tão grato e me sinto abençoado porque Deus poupou a minha vida hoje. Hoje eu fui baleado na parte de trás da cabeça, mas estou muito bem e estável”, disse Shubert em um tweet poucas horas após o tiroteio.
“Obrigado por todas as suas orações e pelo apoio. Estou orando por todos os outros que foram afetados”, escreveu ele em outra mensagem na rede social.
Sheri Shubert, mãe de Rome, disse que seu filho poderia ter ficado tetraplégico, o que teria acabado com sua vida. O adolescente iniciou uma bem-sucedida trajetória como arremessador de beisebol no time da escola.
Apesar da tristeza pela morte de outras pessoas da escola, o time já voltou a jogar. Rome vem sendo retratado pela mídia americana como uma história de superação e fé. Com informações de Christian Post e ABC
http://www.afogadosveiculos.com/

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...