PREFEITURA

xxxxxxxxxxxx

Tirar o Estado do cangote do produtor e propor a criminalização das invasões de terras como “terrorismo” são propostas de Bolsonaro.

O candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, criticou nesse sábado (25), em entrevista à TV TEM (afiliada da TV Globo), a atuação do Ministério Público do Trabalho, que ele classificou de obstáculo para o desenvolvimento do país. Ele disse que, se eleito, vai “tirar o Estado do cangote do produtor”.
O presidenciável cumpriu agenda na manhã desse sábado no município de Catanduva, no noroeste de São Paulo. Natural de Glicério (SP), Bolsonaro está há quatro dias fazendo campanha no interior paulista.
“O maior incentivo que a gente pode dar com o setor produtivo é tirar o Estado do cangote do produtor. Por outro lado, conversando com a nossa equipe econômica, nós temos que desburocratizar e desregulamentar muita coisa, de forma que aquela pessoa que queira empregar não seja refém do Estado”, declarou o candidato na entrevista à TV Tem.
⏩    Mostrar matéria completa  
“Conversei com um piscicultor agora há pouco aqui [Catanduva] sobre as dificuldades, imposto, energia cara e licença ambiental. Um país que tem um Ministério Público do Trabalho atrapalhando não tem como ir para frente”, complementou.
Em Catanduva, na manhã deste sábado, Bolsonaro fez um discurso em carro de som na Praça da República.
Na manifestação aos apoiadores de sua campanha, ele voltou a repetir os mesmos temas que tem abordado em todos os seus atos de campanha. Mais uma vez, ele declarou que, caso vença a eleição, vai propor a criminalização das invasões de terras como “terrorismo”, dará retaguarda jurídica para policiais usarem armas de fogo no exercício do trabalho sem risco de serem processados criminalmente e vai incentivar que a população se arme para, segundo ele, reagir contra a criminalidade. (G1)
Reproduzido por Blog Tv Web Sertão
http://www.blogtvwebsertao.com.br/search/label/EVENTOS%20ELITE%20DIGITAL

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...