Pistoleiro apontado por três homicídios, confessa estar arrependido, diz site pernambucano.

Nas primeiras horas desta quinta-feira (31), policiais civis de Campina Grande em conjunto com equipes da Polícia Civil de Pernambuco, deram cumprimento a dois mandados de prisão por homicídios, contra Robervânio de Lima Santos (idade não informada).
A prisão ocorreu no Sítio Lagoa Dantas, zona rural de Taquaritinga do Norte. Ele é apontado como um “pistoleiro”, e acusado de ter praticado homicídios nos estados de Pernambuco (Jabitacá, distrito de Iguaracy em 16 de julho de 2019) e Paraíba (Galante, distrito de Campina Grande no dia 9 de agosto de 2018).
Segundo a Polícia Civil, em Galante, ele chegou dizendo que seria um oficial de Justiça e vitimou Severino do Ramos Silva. Já em Jabitacá, a vítima foi João Lucas (relembre aqui). A Polícia revelou que Robervânio recebia valores para executar pessoas.
Ao ser preso, além de confessar o crime, Robervânio confidenciou aos policiais que estaria arrependido de ter praticado as ações criminosas. Com ele foram apreendidas duas espingardas e diversas munições de vários calibres.
PEMAIS.COM - https://www.pemais.com/2019/10/pistoleiro-e-preso-por-homicidios-na.html
NOTA DE ESCLARECIMENTO:
O Advogado Dr. Hiago Perazzo, que atua em defesa da família que está sendo acusada de serem os mandantes da morte de João Lucas em Jabitacá, em contato com a redação de nosso blog, disse ter tido acesso ao depoimento do acusado por crimes em Pernambuco e Paraíba, de nome Robervânio de Lima Santos, e que apesar de a matéria do site PEMAIS.COM - https://www.pemais.com/2019/10/pistoleiro-e-preso-por-homicidios-na.html, (republicado neste blog), ter citado os casos de homicídios em Jabitacá e Taquaritinga do Norte, inclusive citando nome das vítimas, o mesmo não teria confessado o crime relacionado ao jovem João Lucas e apenas ao crime de Galante, distrito de Campina Grande, fato ocorrido no dia 9 de agosto de 2018. O advogado disse que ainda irá ouvir o acusado e pediu para que fosse publicado esta nota para que não houvessem conclusões precipitadas a respeito dos fatos.