Queiroga prevê fim da obrigatoriedade de máscara ao ar livre em novembro

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tem feito, nos bastidores, uma previsão mais exata de quando o governo federal poderá “recomendar” o fim do uso obrigatório de máscaras em lugares abertos no Brasil.
Em conversas com interlocutores, Queiroga projeta que, se os números da Covid-19 no país continuarem caindo, a pasta poderá orientar a abolição do uso de máscaras ao ar livre a partir de novembro deste ano.
Nessa segunda-feira (13), a média móvel de casos de Covid-19 no Brasil foi de 15.336. Foi o menor número desde 20 de maio de 2020, início da pandemia, quando o indicador registrou 14.647 infecções, em média.
Nos bastidores, o titular da Saúde ressalta ser pessoalmente favorável ao uso do equipamento de proteção. Ele pondera, no entanto, ser contra tornar a medida obrigatória por meio de lei.
Queiroga tem sido pressionado pelo chefe. Nessa segunda-feira (13/9), o ministro recebeu do presidente Jair Bolsonaro uma mensagem de WhatsApp com a notícia de que Portugal liberou o uso de máscara nas ruas.
Por enquanto, Queiroga fala apenas em “recomendação” sobre o uso de máscara, pois o Supremo Tribunal Federal deu autonomia para estados e municípios decidirem sobre medidas de contenção ao vírus.