Sem ressentimentos: PM que comandou ação violenta em protesto contra Bolsonaro é promovido em Pernambuco


O capitão da Polícia Militar de Pernambuco Elton Máximo de Macedo, do Batalhão de Choque, um dos investigados pela violenta reação a um protesto pacífico contra o presidente Jair Bolsonaro, no dia 29 de maio de 2021, no Centro do Recife, foi promovido pelo governo do Estado de Pernambuco.
A ação violenta da PM deixou dois homens que não participavam da manifestação parcialmente cegos após serem atingidos nos olhos por balas de borracha. O arrumador de contêineres Jonas Correia de França e o adesivador de carros Daniel Campelo perderam a visão de um dos olhos. Os dois apenas passavam pelo local durante os atos, sendo surpreendidos pela violência militar.
As balas de borracha foram atiradas pelos PMs lançados pelo comando da Corporação e da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) para acompanhar e, em determinado momento, dispersar a manifestação.
O PM Elton Máximo de Macedo foi promovido a major. A promoção, publicada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco do sábado (19/2), tem caráter retroativo ao dia 31 de dezembro de 2021.
A ascensão do militar, como explicado no DO, teve como critério a antiguidade e a disponibilidade da vaga de oficial existente nos quadros da Corporação. O ato que oficializa a mudança de patente foi assinado pelo governador Paulo Câmara (PSB).
O agora major está na PM desde 2004 e foi um dos oficiais afastados das ruas pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) devido ao envolvimento na repressão truculenta ao protesto. Ao todo, foram afastados 16 policiais, sendo três oficiais e 13 praças.

Betano: Apostas Esportivas - Faça seu Jogo Online

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232