Organizador do JECIPE diz que decisão do MPPE em controlar volume de som pode acabar com o evento

Organizadores do VI Jogos Cidades de Pernambuco - Jecipe, reclamaram que a decisão do Ministério Público - PE através da promotora Dra. Ana Clézia Nunes, prejudicou o andamento do evento realizado no Centro Desportivo Municipal, em Afogados da Ingazeira. A Polícia Militar esteve no local na noite dessa quinta-feira (19), para fazer cumprir a determinação de o som não ultrapassar a altura de 60 decibéis.
“Fizemos o teste e realmente o som fica muito baixo, a altura é equivalente ao volume de um rádio ligado. O Dj não pode se apresentar e o som não chegava nem nas barracas. Tivemos prejuízo porque tivemos que devolver o dinheiro das entradas e os cerca de 100 barraqueiros ficaram revoltados. A justiça tem que rever isso, do contrário vai acabar o evento”, questionou Ednar Charles.
O valor arrecadado que seria para pagar arbitragem e ajudar na organização foi devolvido ontem. A organização sugere que representantes do MP testem na prática esse limite de som, que consideram muito baixo. A decisão foi tomada após reunião ontem entre MPPE e comissão do Jecipe, representantes da prefeitura e policiais,
Decisão ocorreu após moradores próximo ao Centro reclamarem de volume alto