RECORDANDO O RIO PAJEÚ EM CARNAIBA NOS ANOS 80

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o rio nasce na Serra da Balança, no município de Brejinho, próximo à divisa entre os estados da Paraíba e Pernambuco. É afluente do São Francisco. O Riacho do Navio — famoso em virtude da canção de Luiz Gonzaga e do livro Caminhos do Pajeú do escritor Luís Cristóvão dos Santos — é um de seus afluentes. Nas margens do Rio Pajeú, encontramos as cidades de Itapetim, Tuparetama, São José do Egito, Ingazeira, Afogados da Ingazeira, Carnaíba, Flores, Calumbi,Serra Talhada e Floresta, todas no estado de Pernambuco.
 Em Carnaíba até a década de 90, moradores usufruíam de canoas como meio de transportes que ligava o centro da cidade ao Bairro de Carnaíba Velha.Existiam duas canoas pertencentes ao senhor Manoel de Pedrinho, depois surgiu a terceira canoa do Sindicato dos Trabalhadores Rurais que tinha o comando do saudoso Pedro do Ó. Até o milagroso Frei Damião já utilizou do transporte quando em uma de suas visitas à Carnaiba, também visitou a Fazenda Bom Sossego, de propriedade do ex prefeito José Francisco Filho. Eram épocas em que o Rio Pajeú transbordava com as enormes enchentes que hoje fica apenas na lembrança dos carnaibanos.
Os principais pontos das canoas eram na ladeira do Rio e no terreno de Lula Penoso, pelo lado de Carnaíba Velha, pelo lado da cidade, os pontos ficavam dentro de uma das vazante pertencente ao senhor Ismael Gomes.
No inicio da década de 2000, foi construída pelo Governo Municipal de Antônio Rodrigues Sobrinho (Tota de Juvenal), a ponte ligando a cidade ao bairro mais populoso dando acesso ao Distrito de Serra Branca e toda região do caroá bem como ao Distrito de Fátima, município de Flores.
As fotos foram cedidas gentilmente pelo Acervo Vivo de Antônio Geraldo dos Santos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO GOVERNO DE IGUARACY