Por que os smartphones esquentam?

Usar smartphone como navegador GPS é um dos fatores que fazem o telefone esquentar
Quem tem smartphone já sentiu que, mesmo quieto no bolso, o aparelho dá uma leve esquentada. Em determinadas atividades, como navegar na internet ou usar o GPS, a temperatura do celular chega até a incomodar. Diante desse problema, fica a pergunta: por que os smartphones esquentam?

Apesar de o aquecimento ser incômodo, a alteração de temperatura é natural dos componentes internos do smartphone, segundo Marcelo Parada, professor de engenharia elétrica do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana). "As pessoas esquecem que o smartphone é um computador em miniatura e, diferente dos modelos maiores, o telefone não tem ventilação", explica o engenheiro.

O primeiro vilão "geral" para o celular esquentar é o consumo excessivo da bateria pelo uso intensivo ou inadequado de algumas de suas funções, segundo Sergio Abramoff, gerente sênior de vendas da MediaTek, que fabrica processadores para celulares de marcas que atuam no Brasil, como Alcatel e Positivo. "Dependendo do que é exigido do celular, os circuitos eletrônicos existentes dentro dele consomem a energia elétrica armazenada na bateria, gerando calor", explica.O item é o mais exigido do conjunto (ele fornece energia para o aparelho conforme a necessidade), portanto, apontá-lo como único culpado seria injusto. No fim das contas, a combinação de fatores que faz o smartphone esquentar sempre envolve a bateria e o número de itens usados para realizar uma atividade. Abaixo alguns dos vilões apontados por especialistas consultados pelo UOL Tecnologia:
Uso de rede de internet móvel e Wi-Fi

Mesmo sem uso, boa parte dos smartphones fica com as antenas de internet móvel e Wi-Fi ligadas. Esses itens fazem o aparelho esquentar em duas ocasiões: quando estão sendo muito utilizados (sobretudo em navegação intensa na web em redes 3G ou 4G) ou quando estão longe de uma antena transmissora.
iStock
"Quanto mais longe a pessoa estiver de uma antena [do sinal celular ou do roteador Wi-Fi], o telefone vai usar mais potência para aproveitar esse sinal", afirmou Parada, da FEI.

Por essa razão, algumas vezes o smartphone, mesmo quietinho no bolso, pode ficar mais quente que o convencional.

DICA: Para evitar o aquecimento causado por conexões móveis, é recomendável desligá-las quando não estiverem sendo utilizadas.
Uso intensivo do processador com apps pesados

Como nos computadores de mesa e laptops, o processador é um dos itens que mais esquentam no smartphone. É possível notar isso após jogar um game com muitos itens gráficos por muito tempo. Além disso, existe uma troca natural de calor entre as mãos da pessoa e o aparelho, o que pode aumentar o incômodo.
Steve Marcus/Reuters
O calor gerado pelos processadores já foi pior, segundo Abramoff, da Mediatek. "Com o desenvolvimento de processadores com muitos 'cores' [núcleos, na tradução do inglês], o chip faz um uso inteligente do seu poder. Em atividades simples, são usados poucos núcleos. Para complexas, são usados vários ou todos. Isso faz toda a diferença no consumo de bateria e no aquecimento."

DICA: Algo que pode ser feito para evitar o aquecimento do processador é fechar aplicativos que não estão sendo utilizados. Com menos programas operando, mais "braços" o processador terá para realizar as tarefas que o usuário quiser.
Navegação com aplicativo de mapa

Uma consulta rápida em um aplicativo que usa GPS quase não altera a temperatura do smartphone, agora a navegação guiada (quando o celular fica dando direções) pode causar grande aquecimento, pois são utilizados muitos elementos simultaneamente.
Nir Elias/Reuters

"Ao usar o Waze no trânsito, por exemplo, estou consultando a rede de dados e o GPS tem que captar um sinal que é gerado a quilômetros da Terra. Sem contar o processamento do algoritmo do app, a tela que fica ligada direto e o fato de o telefone ficar no console do carro, que costuma ser bem quente", explica Abramoff.

Por essa razão, observa o professor da FEI, alguns aparelhos acabam "morrendo" durante a navegação. Se a temperatura externa do smartphone ultrapassar os 40ºC, um sensor de calor manda um sinal para o processador, que manda desligar o sistema automaticamente.

DICA: Ao usar o smartphone como navegador GPS, tente não deixá-lo em locais quentes. Caso não esteja usando o GPS, o dono do aparelho pode desligar o recurso para poupar bateria.

Share/Bookmark

0 comentários: