PREFEITURA

xxxxxxxxxxxx

Apac prevê 2017 com chuvas após cinco anos de seca em Pernambuco

Após um período de seca de cinco anos, Pernambuco deve ter um 2017 com chuvas. A informação foi divulgada nesta terça-feira (12) pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) durante reunião que aconteceu no Ministério Público em Caruaru, no Agreste. A mudança climática se deve ao fenômeno La Niña, segundo a Apac.
O diretor-presidente da Apac, Marcelo Asfora, disse que um dos principais fenômenos que interferem nas chuvas no Sertão é o El Niño. “A expectativa é que surja o fenômeno La Niña, que é o resfriamento das águas do [oceano] Pacífico. Então só o fato de não ter a interferência do El ñino, vai favorecer a condição de chuva do Sertão”.
Asfora explicou em entrevista à TV Asa Brancaque “o período chuvoso do Sertão começa a partir de setembro”. Segundo ele, apesar da expectativa de chuvas, a seca não vai terminar de forma imediata. “Leva um tempo para os reservatórios e a economia local se recuperarem, mas sem dúvida [a chuva] é uma boa notícia”, explicou o diretor-presidente da Apac.
Na reunião, o secretário executivo de Recursos Hídricos do Estado, José Almir Cirilo, afirmou que duas iniciativas entrarão em prática até o início de 2017 para conter a crise hídrica. Uma barragem e uma adutora estão sendo construídas na Mata Sul – a de Serro Azul, em Palmares, e a do Pirangi, em Catende.
“Infelizmente, o canal que virá de Sertânia até Arcoverde ainda vai ter as obras iniciadas no final do ano. Por isso que tivemos que trabalhar essas duas soluções antecipadas para resolver o problema de água no Agreste”, explicou José Almir Cirilo. Segundo ele, a barragem e a adutora em construção têm capacidade para fornecer 500 litros de água por segundo. (G1)

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Sávio Torres acumula mais uma vitória e segue para a disputa da prefeitura de Tuparetama

Nesta quinta feira (14), a Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Pernambuco (Segunda Instância) se reuniu para apreciar a decisão liminar de número 425120-1 - que tramitou na Segunda Vara da Fazenda Pública, no fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, no Recife.
Após ter procedência negada em primeiro grau, a matéria discutida referente ao Fundo Municipal de Saúde, foi relatada pelo eminente Desembargador Ricardo Paes Barreto e acompanhada no voto pelos pares José Ivo e André Guimarães, que de forma unânime apreciaram a matéria e deferiram pró Sávio Torres.
O próprio Tribunal de Contas do Estado, órgão administrativo competente para o julgamento de contas públicas, em sua apreciação técnica concluiu que a matéria apreciada se tratava de irregularidades sanáveis que não prejudicaram o erário público, nem comprometeram a probidade da gestão Sávio Torres, divergindo apenas no que tange a assinatura dos cheques do Fundo Municipal de Saúde, (2008), que era feita pelo então gestor, e, conforme determina a legislação, deveria ser pela gestora do fundo, Secretária de Saúde à época. Mera formalidade imputada pela legislação e que não compromete a maneira responsável como o Fundo Município de Saúde foi gerido 2005-2012.
Assim sendo, resta comprovado que tanto a instância administrativa, quanto a judicial, reconhecem, cada uma a seu tempo e a seu modo, que não existiu falhas gritantes na conduta da gestão do Fundo Municipal de Saúde de TUPARETAMA.
O mérito discutido na seara administrativa, foi amplamente revisto na via judicial e decidido de forma unânime pelos desembargadores que ocupam com honra e competência o nosso respeitado Palácio da Justiça.
Mais uma vez, a tentativa leviana do grupo situacionista em bradar pseudo-juridicamente as dificuldades de registro de candidatura do ex gestor Sávio Torres, se confirmam como informações manipuladas, e por quem, definitivamente não conhece o devido processo legal e suas implicações. Buscam confundir e ludibriar a cabeça da população gerando uma guerra psicológica amparada em informações de processo que ainda não foram apreciados em segunda instância, confirmando a falta de competência e o excesso de maldade da situação.
O STF (Supremo Tribunal Familiar) da prefeitura precisa saber que o trâmite do processo não acaba na primeira instância e o jogo só termina na última martelada dos tribunais superiores.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Yane Marques e o sonho da medalha olímpica que virou realidade

 
Superesportes: Complexo Deodoro, Rio de Janeiro, 2007. Ali, há quase nove anos, no dia 23 de julho, a pernambucana Yane Marques conquistava a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos. Garantia, assim, a realização do sonho olímpico Aquela vitória garantia a sua presença nos Jogos de Pequim, disputados no ano seguinte. Participação estendida a Londres, quatro anos mais tarde, com a realização de mais um sonho, da medalha olímpica. Ciclo que se aproxima de um desfecho histórico, em casa, exatamente onde tudo começou. Yane Marques, sertaneja filha ilustre de Afogados da Ingazeira, a primeira pernambucana a conquistar uma medalha olímpica numa modalidade individual, é a personagem da série Relíquias Olímpicas, que conta a história das pernambucanas e pernambucanos que participaram de Jogos Olímpicos.
O passaporte olímpico veio com a medalha de ouro. Até então, aquela era a maior conquista da pernambucana Yane Marques. Nos Jogos Pan-Americanos de 2007, disputado no Rio de Janeiro, a sertaneja, aos 23 anos, vencia a disputa do pentatlo moderno. A primeira colocação lhe garantiu presença na Olimpíada de Pequim, no ano seguinte. O sonho olímpico se tornava realidade. Mas havia muito mais além desse sonho. 
Não no primeiro capítulo. Neste, a honra maior foi a participação. Também por conta das barreiras encontradas por Yane. Logo na chegada a Pequim, a pernambucana se deparou com o primeiro obstáculo. A sua mala chegou totalmente danificada. Pior. Os equipamentos que seriam usados na equitação e tiro estavam quebrados. E não havia tempo hábil para mandar buscar no Brasil as peças para reposição. “Fiquei muito triste. Passei quatro horas em negociação para tentar resolver o problema. Estava praticamente chegando o dia de competir e eu sem meu material. Por fim, tudo foi resolvido por lá mesmo. Mas usei equipamentos aos quais não estava acostumada”, conta Yane.
Tirando esse contratempo, a pernambucana recorda da boa energia quando pisou na Vila Olímpica. “A energia é única. Só estando lá para sentir. E Pequim estava pronta para receber a todos. É tanto que meu problema inicial, com a bagagem, foi solucionado”, acrescenta.
Até a prova do hipismo, tudo corria surpreendentemente bem para a pernambucana. Eis que surge em seu caminho um cavalo arredio (o animal é escolhido por sorteio), numa pista pesada. Por mais que fizesse esforço, o animal não obedecia aos comandos de Yane. Com isso, foi inevitável cometer as faltas. “Até então, eu vinha bem na disputa. Para a primeira participação em uma Olimpíada, eu estava brigando bem. Por isso, considero minha posição final aceitável. A 18ª posição foi inédita para o meu país. Saí com a sensação de ter feito o melhor, mas ainda pairava na minha cabeça que podia ter feito algo mais. Basta o cavalo ter feito a parte dele”, recorda a pentatleta.
No fim, Yane terminou a sua participação na 18ª colocação. Com a energia renovada para ir em busca de sonhos maiores.
Londres, o segundo capítulo
A participação em Londres foi garantida de forma semelhante à anterior. No Pan-Americano de Guadalajara, México, Yane Marques terminou com a prata. O fato de ser a melhor sul-americana na prova - ficou atrás apenas da norte-americana Margaux Isaksen -, rendeu-lhe a vaga em Londres. A sua segunda participação nos Jogos. A evolução e a maturidade adquirida nos últimos anos lhe permitiam sonhar com algo além da simples participação.
Para isso, Yane não desacelerou. A sua preparação foi até o limite. Na caminhada até o desembarque final em Londres, fez algumas paradas. Uma delas foi na França. Para afinar, sobretudo, o jogo da esgrima. Participou do Open Francês de pentatlo moderno. Na competição, deixou para trás Amelie Cazé, tricampeã mundial na modalidade, e subiu no topo do pódio.
Roma, na Itália, foi o último endereço da pernambucana antes da chegada na capital inglesa. E ao colocar os pés no aeroporto de Heathrow ficou retida por mais de duas horas. Tudo por causa da pistola - a laser - que trazia na bagagem. O foco não permitiria prejuízos por qualquer contratempo. “Mandamos um monte de papéis para eles autorizarem a entrada da pistola. Na hora de entrar no país deles, foi difícil explicar que era meu equipamento de competição”, relembra. No final, deu tudo certo.
Quando chegou na Vila Olímpica, a pentatleta dividiu, por uns dias, o apartamento com a taekista Natália Falavigna - mesma companheira de quarto de Pequim. E manteve o foco absoluto na disputa. Evitou badalações. Pouco saía. Somente quando a mãe, dona Gorette, chegou a Londres, foi que ela abriu uma exceção e foi encontrá-la em um shopping que ficava ao lado do alojamento. Encontro rápido. Matou a saudade e retornou para a concentração.
No dia da prova, ela recorda que acordou muito bem. Alimentou-se tranquilamente (pão, geleia e ovos) e seguiu para o parque olímpico, que abrigou os jogos de esgrima. Antes de pisar na pista, de fone nos ouvidos, curtiu o som da banda Aviões do Forró. “Eu gosto muito de música. Sempre me ajuda a relaxar, tirar um pouco a tensão. Geralmente, fico ansiosa em dias de provas e em Londres foi um pouco diferente”, explica a atleta.
A saga prosseguiu até a prova final, o evento combinado. “Tinha feito uma temporada regular. Só queria reproduzir isso na prova. Não estava contando com o fator sorte. E consegui isso”, explica. Um filme ainda povoa o pensamento de Yane. Os momentos finais da corrida, para cruzar a linha de chegada em terceiro lugar. “Nos 400 metros finais, lembro que tinha uma ladeira bem íngreme. Logo atrás de mim vinham a norte-americana e a chinesa. Vinham forte. Pensei: elas têm até aquela subida para me passar. Senão, só se eu cair ou desmaiar e não completar a prova. Quando entrei no estádio, foi uma perna atrás da outra, uma perna atrás da outra. Até cruzar a linha de chegada.”
A medalha de bronze estava garantida. Aos 28 anos, o momento era de festejar, mas sem flertar com o próximo desafio. A volta ao local onde tudo começou já estava delineado no horizonte.
Rio, o terceiro capítulo
Complexo Deodoro, Rio de Janeiro, 2016. A realização do sonho dos sonhos materializou-se para Yane Marques com mais uma medalha de bronze. Na Alemanha, em 4 de julho de 2015, Yane Marques conquistou a terceira colocação no Campeonato Mundial de Pentatlo Moderno. Assegurava, desde já, a participação na sua terceira Olimpíada. Talvez a última. A mais especial de todas. Uma olimpíada disputada em casa. Onde tudo começou.
Aos 32 anos, Yane não define os Jogos do Rio como o fim do seu ciclo olímpico. O foco não é no futuro, mas, sim, no presente. Em seu território, a pernambucana quer honrar a sua carreira. Numa modalidade que depende de fatores alheios ao desempenho individual - como ter sorte na definição do cavalo -, isso não passa por uma medalha, necessariamente. Passa por chegar a ir além dos seus limites. “Uma perna atrás da outra.”
Quando cruzar a linha de chegada, Yane terá a sua vitória. Com medalha ou sem medalha, terá concluído mais um ciclo de abdicação, de entrega, dedicação absoluta. O terceiro, talvez o último. O ponto final de uma carreira vitoriosa, de uma carreira exemplar para qualquer atleta, de qualquer modalidade.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Senador pede dinheiro para o IF-Sertão e a reabertura da agência da Receita em Afogados

O senador Fernando Bezerra e a reitora do IF-Sertão, Leopoldina Veras, estiveram ontem (13) com o ministro da Educação, Mendonça Filho, a fim de solicitar recursos para a conclusão de obras em diferentes campus do IF-Sertão, que já conta com 10 mil alunos em seis municípios de Pernambuco.
O senador foi recebido também pelo secretário da Receita, Jorge Rachid, a quem pediu a reabertura da agência da Receita em Afogados de Ingazeira.
Segundo Leopoldina Veras, as obras de reforma da reitoria de Ouricuri estão paralisadas desde 2010, assim como as do campus de Serra Talhada e Santa Maria da Boa Vista.
Mendonça prometeu verificar as possibilidades de apoio do governo federal para a conclusão das obras do IF-Sertão.
Criado em 2008, o IF-Sertão é sediado em Petrolina e formado pelos campus de Ouricuri, Floresta, Salgueiro, Serra Talhada e Santa Maria da Boa Vista, além da unidade Petrolina Zona Rural.
Com relação à agência da Receita, atendia à população de 12 municípios sertanejos, a saber: Tabira, Carnaíba, São José do Egito, Quixaba, Iguaracy, Solidão, Itapetim, Tuparetama, Ingazeira, Brejinho e Santa Terezinha.
“Se esta agência permanecer fechada, os usuários terão de se deslocar até Serra Talhada, que fica a 80 km de distância de Afogados de Ingazeira”, disse o senador pernambucano.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Concurso da Compesa será realizado domingo dia (17)

As provas do concurso público da Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa serão realizadas no próximo domingo (17). Ao todo são 65 vagas para diversos cargos onde concorrerão 11.127 candidatos. As provas para nível superior acontecem das 8h até às 12h, enquanto para nível médio técnico ocorrem das 14h30 às 18h30. O certame está sendo realizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Os salários variam de R$ 1.844,51 a R$ 7.480,00.
O candidato deve comparecer ao local de prova com uma hora de antecedência, observando o horário oficial do Recife. Ele deve estar munido de documento original com foto, comprovante de inscrição e/ou comprovante de pagamento da taxa de inscrição. A pessoa deve levar uma caneta esferográfica na cor azul ou preta fabricada em material transparente no dia da prova.
Para consultar o local de prova o candidato poderá acessar o site e digitar o seu CPF. A FGV também disponibilizou o telefone: 0800.283.4628.
Também o e-mail: concursocompesa2016@fgv.br para atender os candidatos.
As oportunidades estão distribuídas para vários cargos de nível médio e superior. O cargo mais concorrido é o de Analista de Gestão/Biólogo, com disputa de 764 por vaga. Já o cargo menos concorrido é o de Analista de Gestão/Médico do Trabalho, que registrou a menor proporção de candidato/vaga: 15.
As vagas foram disponibilizadas para diversos municípios do Estado e as primeiras contratações podem ser realizadas ainda este ano. Os empregos são regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Além da remuneração, os empregados da companhia são contemplados com política que prevê progressões salariais por mérito e por antiguidade, bem como participação nos resultados. Eles recebem atualmente os benefícios de plano de saúde e plano odontológico (empregado e dependentes), previdência privada, vale-alimentação e auxílio-educação.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

MILÍCIA VETA INTERNET PARA SOLDADOS DA FORÇA NACIONAL

Soldados da Força Nacional que estão no Rio de Janeiro para realizar a segurança das instalações olímpicas foram proibidos por milicianos de instalar internet no condomínio onde estão alojados, no Largo do Anil, em Jacarepaguá. Assim, não bastassem as diárias atrasadas e as más condições de moradia, os cerca de 3.500 agentes que já estão na cidade são obrigados a utilizar os celulares para se conectarem à rede. Para completar, sem eletrodomésticos básicos nos apartamentos, compram produtos em comércio informal da região, cuja procedência tem origem incerta.
O Estado apurou que a instalação de qualquer serviço de internet no condomínio foi vetada pela milícia que atua na região do Anil e da Gardênia Azul, favela que fica ao lado do empreendimento. Os milicianos lucram com o fornecimento de sinal e impõem monopólio no serviço, até mesmo para os agentes deslocados para o Rio.
Os soldados estão alojados no condomínio Vila Carioca, que faz parte do Minha Casa Minha Vida, programa habitacional do governo federal. Eles começaram a ocupá-lo em junho. Os apartamentos, contudo, foram entregues inacabados, sem qualquer tipo de mobília. Até os chuveiros não foram instalados. Parte dos apartamentos, segundo relatos de militares, apresentam infiltrações.
Clique aqui e leia a matéria na íntegra do Estadão:

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Manifestante tenta apagar a tocha olímpica com extintor de incêndio

O Tour da Tocha segue pelo Brasil afora e nesta quarta-feira, dia 13 de julho, desembarcou em Joinville, Santa Catarina. No trecho final da viagem pelo estado, um dos símbolos olímpicos sofreu novamente na mão de manifestantes. Depois de tentarem apagar a chama jogando água ou derrubando o condutor, desta vez a tentativa foi com um extintor de incêndio. Usando um equipamento de tamanho reduzido, um homem invadiu a área de condução, mas não teve sucesso na empreitada. De supetão, levou uma gravata de um dos membros da Força Nacional de Segurança e a condutora Viviane, motorista da Rio 2016, seguiu seu trajeto.
Ela sofreu com a fumaça branca, que tomou conta do local. Viviane Ficou um pouco enjoada devido à inalação do pó químico, mas passa bem.
Por Fernando VidottoJoinville, Santa Catarina

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Falsos policiais são presos após procurarem delegacia para prestar queixa

Três homens, de 61, 59 e 44 anos, foram presos em flagrante após se apresentarem como policiais civis na delegacia de Prazeres, no Grande Recife, na noite desta quinta-feira (14), de acordo com a delegada Ana Luíza Mendonça. Os suspeitos chegaram a apresentar distintivo e carteiras falsificadas da corporação e do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).
Os três procuraram a unidade policial para prestar uma queixa contra uma pessoa que estaria difamando a associação deles. Para a delegada, o que chamou a atenção da equipe de policiais foi a “cara de pau” dos homens. “Perguntei qual era a associação e eles disseram que era de policiais e mostraram as carteiras. Eu diria que eles foram cara de pau de procurar a delegacia”, afirmou.
No falso documento de identificação, até o cargo empregado nele é falso – está escrito “comissário de menor”, quando teria que ser apenas “comissário”. A carteira ainda traz “Justiça Social de Proteção e Defesa do Direito da Criança e do Adolescente” ao invés de “Polícia Civil de Pernambuco”.
Ainda de acordo com a delegada, o suposto presidente da associação — um dos presos — teria mantido que as carteiras eram oficiais e que o único erro foi a utilização de símbolo público. Já outro teria confessado que usava o documento para dar “carteirada” em blitz e entrar de graça em boates. Com os homens ainda foi achado uma lanterna de raio lazer.
A descoberta fez a corporação realizar uma busca e apreensão na sede da associação, onde encontraram outras carteiras falsificadas e cadastros de pessoas. “Encontramos também boletins que parecem ser para fiscalização de boates. Essa ousadia deles pode nos ter levado para algo maior, um esquema de extorsão”, pontuou Ana Luíza Mendonça.
Os três homens foram indiciados por uso de símbolos públicos. As investigações seguem e, segundo a delegada, o trio pode ainda responder pelos crimes de falsidade ideológica, extorsão, estelionato e formação de quadrilha. Eles foram encaminhados para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima. (G1 Pernambuco)

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Menina de três anos é assassinada a tiros, no Agreste de PE

Menina de três anos é assassinada a tiros, no Agreste de PE 
Uma menina de três anos foi assassinada com um tiro no rosto nessa terça-feira (12) em Gravatá, no Agreste de Pernambuco. De acordo com informações da Polícia Civil, dois homens teriam passado atirando pela casa da vítima, localizada no Loteamento Nossa Senhora da Conceição. Os suspeitos estariam em uma motocicleta. Os tiros seriam direcionados ao pai da criança,que teria envolvimento com o tráfico de drogas.
Ainda segundo a polícia, Marciele Graciele Silva Soares, de 3 anos, foi atingida por um tiro no maxilar e já deu entrada no Hospital Municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa sem vida. O pai dela não sofreu nenhum ferimento. Ele foi ouvido na delegacia e será investigado por tráfico.
Até o momento, nenhum suspeito foi localizado. O delegado Abraão Didier está ouvindo parentes para prosseguir com o inquérito.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...