A cada 10 locais atingidos por óleo, três voltaram a apresentar manchas após limpeza no Nordeste

Um terço das mais de 280 localidades atingidas pelo óleo no Nordeste viram a poluição retornar ao menos uma vez. Ao todo, 83 praias e outras localidades tiveram a reincidência da contaminação, o que representa 29,5% dos locais afetados pelo petróleo cru que começou a surgir no fim de agosto.
Os dados sobre a volta da poluição são parte de um levantamento do G1 com base em todos os 23 relatórios divulgados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) sobre a situação das praias desde o começo do desastre ambiental. A análise mostra que, em alguns locais, houve até três "idas e vindas" do óleo. Além disso, aponta que todos os nove estados apresentaram em algum momento o retorno da contaminação entre os dias 29 de setembro e 30 de outubro.
Ao todo ocorreram 103 reincidências em 83 municípios diferentes. Veja a lista dos municípios onde elas aconteceram mais de uma vez:
Guarajuba, Camaçari (BA): 3 reincidências
Jacumã, Ceará-Mirim (RN): 3 reincidências
Praia de Gramame, Conde (PB): 3 reincidências
Barra do Cunhaú, Canguaretama (RN): 2 reincidências
Genipabu, Extremoz (RN): 2 reincidências
Perobas, Touros (RN): 2 reincidências
Praia de Areia Preta, Natal (RN): 2 reincidências
Praia de Flexeiras, Feliz Deserto (AL): 2 reincidências
Praia de Zumbi, Rio do Fogo (RN): 2 reincidências
Praia do Japonês, Camaçari (BA): 2 reincidências
Rio Vermelho, Salvador (BA): 2 reincidências
Sagi, Baía Formosa (RN): 2 reincidências
Carneiros, Tamandaré (PE): 2 reincidências
Ilhas dos Poldros, Araioses (MA): 2 reincidências
Pau Amarelo, Paulista (PE): 2 reincidências
Praia do Forte, Mata de São João (BA): 2 reincidências
Nas outras praias com reincidência da contaminação, o óleo foi limpo e ressurgiu em um único momento.