https://www.facebook.com/pg/saudeiguaracy/posts/?ref=page_internal

Cientistas desenvolvem ação localizada contra o câncer de mama

Para tratar o câncer com mais eficácia e rapidez, pesquisadores têm se dedicado a encontrar tecnologias que possam atingir diretamente as células doentes. Nesse sentido, cientistas japoneses testaram a aplicação de medicamentos contra o tumor de mama com a ajuda de ondas sonoras. Em testes com ratos, obtiveram resultados extremamente positivos.
Os dados foram publicados na revista especializada Scientific Reports e podem, segundo os autores do artigo, ajudar a aprimorar o tratamento principalmente da doença em estágio mais avançado.
O câncer de mama é o mais comum em mulheres e responsável pelo maior número de mortes relacionadas a tumores entre elas. Isso ocorre porque, em estágios mais críticos, as células cancerígenas podem se romper e viajar através do sistema linfático para estabelecer metástases nos linfonodos (gânglios linfáticos). Segundo os cientistas, nesses casos, o prognóstico da doença poderia ser melhorado se houvesse uma maneira de tratar com segurança e eficácia as metástases linfonodais, já que as terapias disponíveis são muito invasivas e podem ter efeitos colaterais graves.
Na tentativa de resolver esses problemas, os cientistas desenvolveram um tratamento que combina a injeção de pequenas bolsas que transportam drogas anticâncer e ultrassom. Essas espécies de vesículas, chamadas lipossomas, viajam através do sistema linfático para alcançar os linfonodos afetados pela metástase do câncer, localizados nas axilas. Quando o ultrassom de alta potência é aplicado à axila, as vesículas se rompem, levando à liberação direcionada do medicamento.