https://www.facebook.com/pg/saudeiguaracy/posts/?ref=page_internal

Cartilha da Secretaria de Defesa Social alerta para prevenção de golpes aplicados pela internet e telefone


Para evitar que a população caia em golpes virtuais, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) lançou uma cartilha com orientações para prevenção contra esse tipo de crime.
O material, chamado de “Crimes Cibernéticos – Fique atento contra os golpes em ambientes virtuais”, foi feito em parceria com a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos. Ele reúne informações sobre os principais crimes cometidos pelas redes sociais e por telefone.
No conteúdo, lançado no início de dezembro, a SDS explica quais são as formas de abordagens feitas pelos criminosos para aplicar golpes por telefone, por WhatsApp, pelas redes sociais, por compras online e em aplicativos de paquera.
Os golpes, na maioria das vezes, são aplicados de forma semelhante. Os criminosos convidam as vítimas para clicar em links e participar de sorteios, levando as pessoas a transferir dinheiro para contas bancárias ou fornecer dados pessoais.
Mesmo se a solicitação for feita por meio de um número conhecido, a orientação é ficar atento. Uma das dicas dadas pela Delegacia de Crimes Cibernéticos é fazer chamadas de vídeo para confirmar quem está ligando e ativar a verificação em duas etapas em todas as redes sociais e e-mails.
O conteúdo da cartilha, além de ter sido disponibilizado para download no site da SDS, também foi publicado no perfil do Instagram da Secretaria.
O material também dá orientações para que a vítima possa registrar um boletim de ocorrência, que pode ser feito por meio da Delegacia Virtual, no site da SDS.
As provas devem ser entregues na delegacia mais próxima da vítima, caso o prejuízo seja inferior a 40 salários mínimos.
Se o prejuízo ultrapassar esse valor, é preciso comparecer à Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, na Boa Vista, no Centro do Recife. Outras dúvidas podem ser tiradas pelo telefone (81) 3184-3207.
Crimes mais comuns
Segundo a polícia, alguns crimes são praticados de forma rotineira. A cartilha aponta golpes aplicados por WhatsApp, internet e sites de paquera. Veja como os criminosos atuam, de acordo com a cartilha da SDS.
WhatsApp
Contam uma história para conseguir o código que chega por SMS no seu celular
Pedem dinheiro emprestado se passando por alguém conhecido
Quando o golpista clona seu whatsapp, ele tem acesso aos seus contatos e grupos.
Fingindo ser você, pede ajuda financeira.
Telefone
Se passam por funcionários do seu banco e informam que sua conta está sofrendo uma tentativa de invasão
Orientam a vítima a seguir um passo-a-passo de modo a obter seus dados, login ou senha
Podem, até mesmo, pedir para que você entregue seu cartão a um suposto serviço de entrega do banco, deslocado ao seu encontro
Fazem cobranças em nome de hospitais e instituições de caridade.
Redes Sociais
Oferecem um prêmio, pedem o telefone para cadastro e enviam um código para confirmar a suposta inscrição
Criam anúncios falsos para a venda de produtos que não existem
Criam perfis falsos buscando a aproximação e a confiança da vítima
Compras online
Hackers atuam em sites oficiais
Fazem anúncios de sites falsos para ter visibilidade em ferramentas de busca como, por exemplo, o Google.
Transações bancárias
Furtam linhas telefônicas e habilitam dispositivos eletrônicos para movimentações bancárias
Clonam cartões nos caixas eletrônicos.
Paquera virtual
Fazem perfis em aplicativos de namoro e tentam seduzir as vítimas para tirar proveito delas
Buscam identificar pessoas mais suscetíveis, mas todos são alvos em potencial
Fazem juras de amor de maneira precoce ou inapropriada
Buscam convencer as vítimas de inúmeras qualidades e, com isso, afastar possíveis desconfianças (Via: G1 PE)