Tela de Tarsila do Amaral é vendida por R$ 57,5 milhões


Em apenas 15 minutos e 19 lances, a tela A Caipirinha, de Tarsila do Amaral (1886-1973), foi vendida por R$ 57,5 milhões, um novo recorde para a arte brasileira. Foi o maior valor já pago por uma obra em venda pública no Brasil.
Segundo a Bolsa de Arte de São Paulo, que realizou o leilão, o recorde anterior pertencia ao pintor Alberto da Veiga Guignard (1896-1962), cuja tela, Vaso de Flores, foi arrematada por R$ 5,7 milhões, em 2015. A Caipirinha foi arrematada por um colecionador brasileiro e deve permanecer no país.
A obra fica em exposição na Bolsa de Arte, no centro da capital paulista, até as 19h desta sexta-feira (18). O quadro, que foi a leilão por decisão judicial, pertencia a um investigado pela Operação Lava Jato, cuja empresa faliu em 2018. Para receber o pagamento de dívidas milionárias dessa empresa, 13 bancos entraram com uma ação na Justiça para sequestro dos bens do empresário. Entre os bens, havia diversas obras de arte, como o quadro de Tarsila.
A Justiça então decidiu leiloar a obra. Todo o dinheiro obtido com a venda, à vista, ficará depositado em juízo até que o recurso da família do empresário seja julgado.
A obra
A Caipirinha foi pintada em 1923, um ano após a Semana de Arte Moderna, em uma viagem que Tarsila fez à França. Em carta enviada à família, ela falou sobre o quadro e até fez um pequeno esboço da pintura. “Quero, na arte, ser a caipirinha de São Bernardo, brincando com bonecas de mato, como no último quadro que estou pintando”, escreveu a artista, na carta à família.
Agência Brasil