Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza começa nesta segunda-feira (12)

Nesta segunda-feira (12), começa a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza (gripe), que, neste ano, será dividida em três fases.
A primeira fase, por orientação do Ministério da Saúde, será dividida em duas etapas, que terão como público-alvo crianças de seis meses a seis anos, gestantes, puérperas e trabalhadores da saúde. Estes últimos serão vacinados na segunda etapa.
A estratégia da Prefeitura do Recife é descentralizar os locais de vacinação para não gerar aglomerações, por isso, a imunização acontecerá em 153 unidades da Secretaria de Saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e em mais três parques da cidade, que funcionarão também nos fins de semana.
São eles o Sítio Trindade, em Casa Amarela; o Parque 13 de maio, na Boa Vista; e o Parque Dona Lindu, em Boa Viagem. Aos sábados e domingos, a imunização nos parques acontecerá das 7h às 19h. A lista completa com os locais de vacinação está disponível no site da Prefeitura do Recife.
Com o objetivo de evitar aglomerações durante a vacinação, a Prefeitura do Recife disponibilizará no aplicativo Conecta Recife uma ferramenta para que a população possa identificar qual a unidade de saúde mais próxima da localização do usuário. O app Conecta Recife está disponível gratuitamente na PlayStore, para Android, e AppStore, para quem utiliza o sistema iOS.Fases
Em função da vacinação contra a Covid-19, neste ano os idosos a partir de 60 anos serão imunizados na segunda fase da campanha. A segunda fase terá início no dia 11 de maio e segue até 8 de junho, quando será a vez de vacinar idosos com 60 anos e professores.
Já no período de 9 de junho a 9 de julho, poderão ser imunizadas as pessoas com comorbidades, deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário Passageiros Urbano e de Longo Curso; trabalhadores portuários, profissionais das Forças de Segurança e Salvamento e Forças Armadas; funcionários do Sistema de Privação de Liberdade; população privada de liberdade; e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.
É importante destacar que, mesmo com o início de uma nova etapa, as pessoas incluídas nos grupos anteriores podem continuar recebendo a vacina da mesma forma.
Por recomendação do Ministério da Saúde, a vacina contra a Covid-19 deve ser priorizada e, por isso, é indicado que as pessoas dos grupos elegíveis concluam o esquema vacinal antes de receber a vacina contra influenza. Deve ser respeitado um intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas contra Covid-19 e gripe.
A vacina contra a gripe não tem eficácia contra o coronavírus Sars-CoV-2, mas a imunização vai ajudar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que alguns dos sintomas são parecidos com os da gripe.
O objetivo é reduzir as complicações, internações e a mortalidade decorrentes das infecções provocadas pelos vírus Influenza, e também desafogar os serviços de pronto atendimento.
Composta por vírus inativado, a vacina protege contra os três tipos de vírus que mais circulam no hemisfério sul: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).
Cobertura
De acordo com o Programa de Imunização do Recife, mais de 510 mil pessoas no Recife fazem parte do público-alvo da campanha. A meta é vacinar pelo menos 90% dessa população.
No ano passado, o Recife vacinou 568 mil pessoas, ultrapassando a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Em 2019, a cidade conseguiu imunizar 485 mil pessoas, o que representa quase 100% dos grupos de risco.
Documentação
Para agilizar a vacinação, a Secretaria de Saúde do Recife recomenda que os usuários levem um documento de identificação, a carteira de vacinação e o cartão SUS (se tiverem esses dois últimos). Parte do público-alvo precisa apresentar também documentos que provem a necessidade da imunização. Os profissionais das redes públicas e privadas de saúde, por exemplo, devem levar comprovantes laborais, como crachás ou carteira de trabalho.
Doença
Também conhecida como gripe, a Influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade no mundo todo, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais. A transmissão ocorre por meio de secreções expelidas das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir e espirrar, ou pelo contato das mãos.
Como os sintomas da gripe são muito parecidos com os da Covid-19, quem está com tosse, espirro ou febre pode se assustar achando que foi infectado pelo Sars-CoV-2, mas pode estar com gripe. A orientação inicial para os dois casos é a mesma: isolamento domiciliar para evitar contaminar outras pessoas.
A Prefeitura do Recife disponibiliza o canal Atende em Casa (www.atendeemcasa.pe.gov.br), através do qual a pessoa com sintomas responde a um questionário e depois recebe a teleorientação de um profissional, caso seja necessário.
Medidas para evitar infecções respiratórias como gripe e Covid-19:
- Lavar as mãos com água e sabão frequentemente (principalmente antes de consumir algum alimento e após tossir, espirrar ou depois de usar o banheiro);
- Evitar levar as mãos ao rosto (olhos, nariz, boca);
- Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com lenço descartável. Após o uso, descartá-los em lixeiras;
- Na ausência de um lenço, usar o ombro ou a região interna do antebraço como barreira ao tossir ou espirrar;
- Não compartilhar alimentos, copos, garrafas, toalhas e objetos de uso pessoal;
- Manter os ambientes ventilados, com portas e janelas abertas, para favorecer a circulação de ar;
- Pessoas com gripe/resfriado devem evitar sair de casa, sobretudo para ambientes fechados e com aglomerações, assim como devem evitar ter contato direto com outras pessoas (abraço, beijo, apertos de mão etc);
- Não usar medicamentos sem orientação médica. A automedicação pode ser prejudicial à saúde;
- Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;
- Manter o distanciamento social e evitar aglomerações. (Folha PE)