Após deixar o Afeganistão, presidente do país diz: “O Talibã venceu”

O ex-vice-presidente e chefe do Conselho Superior para a Reconciliação Nacional, Ashraf Ghani, disse que, ao fugir, o presidente afegão, Ashraf Ghani, “abandonou a nação”.
Em resposta, Ghani argumentou que deixou o país para evitar mortes. Ele afirmou que “incontáveis patriotas seriam martirizados e a cidade de Cabul seria destruída” caso permanecesse.
Ele também admitiu que o Talibã venceu. “Agora é responsável pela honra, propriedade e autopreservação de seus compatriotas”, afirmou em um comunicado divulgado pelo Facebook.
Segundo o site Al Jazeera, um ex-guarda-costas do presidente afirmou que o Palácio Presidencial foi entregue oficialmente ao Talibã neste domingo (15/8). “Agora eles enfrentam um novo teste histórico. Ou preservam o nome e a honra do Afeganistão ou dão prioridade a outros lugares e redes”, completou o presidente em sua nota oficial.
Segundo a agência de notícias Reuters, Ghani embarcou para o Tajiquistão, que faz fronteira com o norte do Afeganistão. Enquanto isso, seu ministro do interior, Abdul Sattar Mirzakwal, garantiu uma “transferência pacífica de poder”.
“Os afegãos não precisam se preocupar, não haverá ataque. Haverá uma transferência pacífica de poder para um governo de transição”, afirmou em vídeo.
O grupo extremista assume o controle de Cabul após a retirada das tropas norte-americanas, que estavam na capital afegã há 20 anos, desde os ataques de 11 de setembro de 2021.

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232