Ministro de Bolsonaro promete que Pernambuco receberá concessão e poderá buscar parceiro privado para concluir ramal da transnordestina para Suape

Em reunião na tarde desta segunda-feira com o ministro Tarcisio Gomes de Freitas, o governador teve a confirmação de que o trecho da Transnordestina de Custódia até Suape vai sair do papel
Iniciada em 2006, ferrovia pode ser finalizada apenas no trecho até o Porto de Pecem, no Ceará. Pernambuco tenta nova rota para o projeto. 
No último dia 09 de agosto, Paulo Câmara enviou à Assembleia Legislativa uma Proposta de Emenda à Constituição Estadual que concede a Pernambuco competência para explorar a infraestrutura e os serviços de transporte ferroviário no seu território. A medida era uma das ações do governo para viabilizar a conclusão do Ramal Suape, da Ferrovia Transnordestina.
O governador Paulo Câmara informou ao blog de Jamildo ainda há pouco que recebeu a garantia do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, de que o Ramal Suape da Ferrovia Transnordestina será viabilizado.
Em reunião na sede do ministério, na tarde desta segunda-feira, o governador ouviu do ministro que o trecho da ferrovia até Suape será desmembrado da concessão e o estado poderá finalizar a obra através de uma nova concessão. Por conta própria.
No mesmo encontro, com o secretário de Desenvolvimento econômico Geraldo Julio ao lado, o ministro Freitas garantiu que a Ilha de Cocaia será retirada da poligonal do Porto Organizado de Suape e poderá ser utilizada como terminal de uso privativo para exportação de minérios. Essas cargas vem lá do Piauí e Teresina e podem tornar a operação economicamente viável.
Freitas prometeu ao Estado que iria tirar Suape da concessão dada ao grupo cearense.
"O ministro deixou claro que sua declaração anterior, de que apenas o Ramal de Pecém da Transnordestina seria concluído, se referia ao que vai permanecer dentro do contrato de concessão com a TLSA. A intenção do Governo Federal é retirar o Ramal de Suape do contrato existente e liberar o trecho para que possamos fechar uma nova concessão", afirmou o governador.
Paulo Câmara disse que o estado se antecipou a essa decisão do ministério, enviando na semana passada um projeto de lei à Assembleia Legislativa que prevê a possibilidade do governo estadual explorar o serviço ferroviário no território pernambucano.
"Temos conversas avançadas com investidores interessados em concluir a rodovia e explorar esse novo modal logístico através de Suape, um porto campeão nacional em movimentação de cargas", afirmou o gestor. O nome do grupo não foi declinado. Seria este grupo que poderia investir e construir os 300 quilômetros que faltam.
Além de Paulo Câmara, participaram da reunião o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio, o presidente de Suape, Roberto Gusmão e o diretor de Planejamento do Porto, Francisco Martins. Freitas prometeu ao Estado que iria tirar Suape da concessão dada ao grupo cearense.
JC

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232