Meteorito erra mulher por milímetros ao cair dentro de casa no Canadá

Já imaginou quase ser atingido por um meteorito enquanto dorme? E a rocha espacial “errando” você por meros milímetros, quase dividindo contigo o seu travesseiro? Ruth Hamilton, da Colúmbia Britânica, Canadá, não imaginou, mas viveu essa situação no último dia 4.
Segundo a própria vítima falou à imprensa local, ao que tudo indica, a sorte foi ela ter levantado para acender a luz do quarto pois, ao levantar um dos travesseiros, ali estava o meteorito de pouco mais de um quilo – a milímetros de onde, momentos antes, estava a sua cabeça: “Eu acho que ainda estou impressionada. Sempre que entro no meu quarto e vejo aquilo, penso ‘Minha nossa, [o meteorito] poderia ter me atingido”, ela disse.

De acordo com Hamilton (66), no dia do ocorrido, ela não sabia o que fazer a não ser ligar para o serviço de emergência. Inicialmente, pensava-se que a pedra era um destroço de um projeto de construção civil nas proximidades. Porém, a empresa responsável pela obra afirmou que não foram detonados quaisquer explosivos naquela noite. Os funcionários, entretanto, relataram terem visto um meteoro explodindo no céu. Após uma investigação mais minuciosa, que envolveu a busca em redes sociais, foi confirmada a explosão de um objeto, conforme relatos no Facebook e Twitter.
De acordo com a análise dos especialistas, o meteoro em questão provavelmente se destacou de uma rocha bem maior, dentro do cinturão de asteroides do nosso sistema solar – aquele posicionado entre Marte e Júpiter. O cenário imaginado por eles é o de que houve algum choque entre asteroides, que despedaçou parte de um deles – um desses pedaços atingiu a casa de Hamilton.
A possibilidade é reforçada pelo fato de que pelo menos uma outra queda foi registrada pelos especialistas da Western University. Segundo um time de cientistas liderado por Peter Brown, chefe de pesquisa de corpos celestes menores em Calgary, agora o objetivo é o de identificar mais registros – seja em foto ou vídeo – da passagem do meteoro em si, a qual eles estimam ter ocorrido um dia antes do impacto residencial, ou seja, em 3 de outubro.
“Estamos perguntando a moradores em Golden, Kelowna e Cranbrook, bem como todos os locais dentro desse raio, para conferirem suas câmeras de vigilância em casa ou locais de trabalho o quanto antes, para evitar que alguns desses produtos acabem deletando automaticamente algum arquivo importante nos próximos dias”, disse Brown.
“Capturas em vídeo feitas por smartphones, câmeras automotivas e de vigilância são importantes no descobrimento da origem deste meteoro, e se descobrirmos isso, teremos uma chance muito maior de contarmos uma história mais completa desse incrível episódio astronômico”, ele continuou.
Alan Hildebrand, pesquisador que colabora com o time, conseguiu traçar uma rota de queda preliminar com base nas especulações posicionadas pelo choque à casa de Ruth Hamilton e análises dos especialistas. Pela imagem acima, é possível notar que um segundo meteorito (pontos verdes) atingiu uma região florestal, também em Golden.
“Especulamos com boa consistência que dúzias de outros meteoritos tenham caído, e nós encorajamos os moradores a ficarem de olho conforme conduzem suas rotinas diárias – limpeza de quintais, por exemplo -, ou caminham pela área estipulada em nossa análise”, disse Hildebrand.
Voltando para Hamilton, ela disse que quer a rocha de volta e planeja guardá-la como recordação após os especialistas terminarem de analisá-la: “eu tremia mais que ‘vara verde’”, ela disse à imprensa. “Você está dormindo por horas, segura – ao menos, se pensa assim – na sua cama, e aparentemente você pode levar uma pancada de um meteorito”

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232