Caso Beatriz: Acusado disse que quer ver Lucinha para pedir perdão, revela advogada


A advogada do homem acusado de matar Beatriz Angélica, numa escola particular em Petrolina (PE), em 2015, disse que o cliente se diz arrependido do crime. Ela afirmou que Marcelo da Silva, 40 anos, também revelou ter confessado o assassinato para aliviar coração de Lucinha e afirmou que quer vê-la para pedir perdão. As informações foram concedidas durante entrevista na noite de sábado (15), ao NE2, na rede Globo e estão disponíveis no G1 PE.
“Ele disse que quer ver a mãe [da menina] para pedir perdão. Porque ele disse que foi uma de uma monstruosidade muito grande e quer pagar pelo que fez. Depois que ele viu o drama da mãe, ele disse que quis contar para aliviar o coração dela, para ficar em paz. Ele usa essa expressão: ‘eu quis aliviar o coração dela para ela ficar em paz. Que realmente o culpado sou eu'”, disse a advogada Niedja Mônica da Silva, acrescentando que o cliente chora ao falar do caso.
A advogada disse que entrou no caso após ser procurada pelos parentes de Marcelo. “Como ele é réu confesso, eu estou aqui para fazer com que a lei seja cumprida. O meu compromisso é com o processo. A gente aqui está para defender os direitos. Como ele repetiu as mesmas coisas duas vezes, creio realmente que foi ele quem fez”, afirmou.
A entrevista completa foi transmitida neste domingo (16), no Fantástico, na Rede Globo.
O caso
Beatriz foi morta a facadas, em dezembro de 2015, dentro do Colégio particular Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina. O acusado só foi localizado na última terça-feira (11), seis anos depois do assassinato. Ele já estava preso por outros crimes desde 2017 no presídio de Salgueiro (PE), e só foi localizado após o DNA contido na faca ter sido compatível com o DNA de Marcelo, presente no banco genético do estado desde 2019.

Betano: Apostas Esportivas - Faça seu Jogo Online

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232