Grupo do Ministério Público vai fazer investigação complementar em busca de solução para o Caso Beatriz


Os quatro promotores de Justiça que formam um grupo do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) designado para acompanhar o Caso Beatriz decidiram fazer uma investigação complementar no sentido de tentar solucionar o caso. O brutal assassinato da menina num colégio de Petrolina, que completou 6 anos sem desfecho em dezembro de 2021, voltou a ganhar repercussão nacional recentemente, após os pais dela caminharem a pé de Petrolina a Recife – mais de 700 km – em busca de justiça.
Segundo o colunista Raphael Guerra, do Ronda JC, o MPPE informou que “o GACE (Grupo de Atuação Conjunta Extraordinária) elaborou previamente um cronograma de eventual atuação investigativa complementar a da polícia, já apresentado e aprovado pelo procurador-geral de Justiça (Paulo Augusto de Freitas Oliveira), o que só poderá efetivar-se após concluída a análise dos autos do inquérito policial, que será realizada na maior brevidade possível, observando-se o esmero e a prioridade merecidas pelo caso”.
No ano passado a Polícia Civil de Pernambuco concluiu o inquérito pela segunda vez sem apontar um suspeito pelo assassinato. O documento foi entregue em dezembro ao Ministério Público, que fará novas diligências. A investigação complementar terá participação de três promotores lotados em Petrolina e uma quarta promotora lotada em Recife.
Da redação do Blog Alvinho Patriota

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232