A nababesca vida do chefão do PT às custas dos trouxas do País

Ricardo Kertzman - Isto É
Se você é bolsonarista ou lulista, por mim, tanto faz. Mas tem de ser muito burro, muito sabujo, muito otário para não ter asco desses caras e do que fazem com a nossa grana.
O Congresso Nacional, aquele antro de picaretas – com raríssimas e honrosas exceções -, acaba de aprovar o novo salário mínimo para 2023. Quanto? A fortuna de R$ 1.294.
E enquanto aquela gentalha ordinária – repito, com raríssimas e honrosas exceções – renovava os votos de pobreza de quem lhes banca a boa vida, um rei jactava-se ao fastio.
Lula da Silva, o meliante de São Bernardo, passou dois dias em Brasília, capital dos porcos, minha cidade natal, diga-se, cuidando da própria vida, ou seja, da sua eleição.
Como ninguém é de ferro, principalmente metendo a mão-grande no bolso alheio, o chefão do PT levou a esposa e refestelaram-se, felizes, em um hotel de luxo da cidade.
O ex-tudo (ex-presidente, ex-condenado, ex-presidiário, ex-corrupto e ex-lavador de dinheiro) escolheu uma suíte simples como ele: apenas 183 metros quadrados.
Meu Deus! Qual o tamanho médio dos barracos das favelas brasileiras? Qual o tamanho médio dos imóveis do Minha Casa, Minha Vida? Qual o tamanho da calçada dos sem-teto?
O líder quadrilheiro gosta de espaço. A suíte conta com dois quartos, duas salas, cozinha completa, dois banheiros, um lavabo, dois halls e uma sala de jantar para 8 pessoas.
Na boa, se você não sente engulhos e vontade de sair chutando tudo pela frente, ou é um verme ou está morto. Há 30 milhões de brasileiros passando fome, caramba!
O custo do passeio da ‘alma mais honesta do País’ – apenas com a hospedagem, hein? – foi de cerca de 12 mil reais, segundo o site do próprio hotel. Quem pagou? Adivinhe…
Fui eu, foi você, fomos nós, estes otários, estes babacas que essa gente ordinária adora pisotear. O dinheiro sairá do indecoroso Fundo Partidário, abastecido com nossos impostos.
Aliás, o único partido político do Brasil que não utiliza o butim, chama-se Partido Novo. Mas quem quer saber daqueles coxinhas de sapatênis, não é mesmo? Nós gostamos de ‘mitos’.
Quem quer saber da meia dúzia de vereadores, deputados estaduais e federais, senadores, prefeitos e governadores que não torram a nossa grana como verdadeiros reis e rainhas?
Nós gostamos de Fernando Collor, de Arthur Lira e companhia. Kim Kataguiri, um dos deputados federais mais econômicos e produtivos? Que nada! Japa chato da porra.
Romeu Zema não mora em palácio (cercado de empregados) e viaja de avião de carreira? Credo, caipira demais! Parece o Chico Bento. Nóis gosta é do Kalil e seus jatinhos, pô!
Querem saber? Vou parar por aqui. Primeiro, que a gastrite já atacou. Segundo, que tá na hora do jogo do Galo. Aliás, espero não passar ainda mais raiva*. Pelo amor de Deus, né?
Ah! Voltando ao caso do pai dos pobres, segundo a assessoria do PT, ‘as instalações eram adequadas para receber convidados e realizar reuniões’. Sim, imagino o tipo. Ai, meu bolso!