Grávida é morta e filha de 8 meses fica ao lado do corpo durante dois dias

Vizinhos de uma mulher de 34 anos, receosos com o sumiço dela e incomodados com o mau cheiro que saía da residência, decidiram, no último domingo (25), contratar um chaveiro para liberar o acesso à casa. Ao entrarem, encontraram a vítima, identificada como Sandra Maria de Sousa Silva, morta, e a sua filha, uma bebê de oito meses, com desidratação e desnutrição. O caso aconteceu na região central da cidade de São Paulo.
A Polícia Militar afirma que Sandra, que estava grávida de um mês, foi encontrada na cama de um dos cômodos da casa, com marcas de agressão e sangue espalhado pelo nariz. Além disso, a vítima tinha dois ferimentos na cabeça, provavelmente feitos com ajuda de uma arma branca.
O principal suspeito de matá-la é o companheiro, que foi visto por vizinhos, na última sexta-feira (23), deixando a residência da família com bolsas em mãos. Ele está sendo procurado pela polícia.
A bebê foi encontrada dentro do berço, com marcas de ferimentos pelo corpo. Ela foi encaminhada para uma unidade de saúde, onde recebeu os primeiros cuidados médicos. Acredita-se que os machucados são frutos da tentativa da criança de deixar o móvel em que estava quando a mãe foi morta.