Regra dos 5 segundos para alimento que cai no chão tem fundamento, diz estudo

Pesquisa mostrou que quantidade de bactéria transferida à comida é diretamente proporcional ao tempo em que ela permanece no chão
 
Alimentos pegajosos e úmidos mostraram-se mais propensos a serem contaminados do que os secos (Thinkstock/VEJA)
Embora seja usada em tom de brincadeira, pode existir um fundo de verdade na regra que diz que é seguro consumir um alimento que caiu no chão desde que ele seja retirado de lá em até 5 segundos. Um estudo feito na Grã-Bretanha descobriu que a quantidade de bactérias transferidas à comida está diretamente associada ao tempo em que ela permanece em uma superfície – ou seja, quanto menos tempo no chão, menor a contaminação.
A pesquisa analisou os níveis de bactérias conhecidas, como a E. coli, transferidas a diferentes alimentos – incluindo torradas, biscoitos, balas e massas – que foram deixados no chão em intervalos de tempo de 3 a 30 segundos.
Segundo o estudo, como já era esperado, alimentos pegajosos e úmidos são mais propensos a serem contaminados do que os secos. Além disso, o tipo do piso também parece interferir no nível de contaminação. A quantidade de bactérias transferidas para os alimentos foi maior em pisos laminados ou de azulejos do que em carpetes.
Anthony Hilton, professor de microbiologia da Universidade Aston em Birmingham e autor do estudo, afirma que a contaminação de alimentos que caem em superfícies de ambientes fechados, como de casas, é pequena, especialmente se a comida é retirada de lá rapidamente. “Nosso estudo oferece algum tipo de alívio às pessoas que decidem aplicar a regra dos 5 segundos.” A pesquisa foi divulgada nesta semana pela universidade.

Share/Bookmark

1 comentários:

Unknown disse...

Quando o alimento cai, a sujeira gruda, ficando impossível de limpar, o jeito é arrancar a parte suja e jogar fora. Não tem essa de ''transferência'' de bacterias, pois a sujeira ta grudada, já era.