Fique de olho: meteoros devem passar pelo céu nas próximas noites

Taurídeas não tem uma noite com grande pico como outras chuvas de meteoros
O céu logo acima de você pode ser iluminado por meteoros nas próximas noites. Isso porque o início de novembro é recebido pela chuva de meteoros Taurídeos, que pode ser vista no território brasileiro em regiões com boas condições de visualização.
Ao contrário de chuvas de meteoros recentes, como a Perseidas e a Orionídeos, o fenômeno de agora não terá um dia com um grande pico de meteoros. De acordo com o astrônomo Gustavo Rojas, da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), a Taurídeos se espalhará pelas próximas noites, a partir desta sexta (4).
"Ela é bem mais fraca que os Orionideos. É uma chuva que pode ser observada no começo de novembro, mas não tem uma noite de pico, a atividade é espalhada de 4 a 7 de novembro", explica Rojas.
A Taurídeos, inclusive, tem uma peculiaridade. Como dura do meio de setembro até o fim de novembro, tem mais um período interessante para observação - ainda assim com poucos meteoros por hora (cerca de 15) para o observador comum. Astrônomos projetam que a madrugada do dia 11 para o dia 12 de novembro também seja cortada por mais meteoros do que nos outros dias.
"Por causa da perturbação de Júpiter na órbita destes pedregulhos, ela dura muito. Esta chuva terá dois picos oriundos de diferentes pontos da constelação: a da parte mais ao sul será por volta do dia 5 e o da parte norte da constelação o pico será no dia 12. Mas isso é indiferente para a gente", diz Cássio Leandro, do Observatório da Univap (Universidade do Vale do Paraíba).
A chuva – que talvez seja mais uma garoa – tem este nome porque os objetos parecem vir da direção da constelação de Touro. Para observar o evento, deve-se olhar na região leste (direção contrária ao pôr do sol) do céu a partir das 2h da manhã.
Astrônomos da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) apontam que, apesar de menos intensa do que os outros fenômenos semelhantes, a Taurídeos apresenta meteoros mais brilhantes.
O evento, contudo, não é para todos. Assim como as outras chuvas de meteoros, a Taurídeos é melhor observada em regiões com pouca luminosidade e poluição – ou seja, fora dos grandes centros urbanos. Esta, em específico, é mais propícia para quem tenha equipamentos profissionais pela pouca quantidade de meteoros.
A chuva deste início de novembro ocorre quando a Terra passa por detritos do cometa Encke, que se incineram ao entrar na atmosfera terrestre.

Share/Bookmark

0 comentários: