PREFEITURA

xxxxxxxxxxxx

IFPE divulga resultado final do concurso

Selecionados devem acompanhar a convocação pelo Diário Oficial da União. Remuneração inicial varia de R$ 1.738,04 a R$ 3.660,54
O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) divulgou, nesta sexta-feira (13), o resultado final do concurso público para o preenchimento dos cargos técnico-administrativos. Os candidatos também podem ter acesso às notas finais da prova prática, após a análise de recursos pela comissão organizadora. O processo seletivo obteve 15.078 inscritos e ofertou 53 vagas para os níveis fundamental, médio e superior.
Os aprovados devem aguardar a convocação, via Diário Oficial. O concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período, contados a partir da data de publicação de homologação. O campus de lotação ainda será definido. Os salários iniciais variam entre R$ 1.739,04 e R$ 3.666,54. Através do incentivo à qualificação, profissionais com doutorado podem ganhar até R$ 6.416,44, além dos auxílios.
Em caso de dúvidas, os candidatos podem entrar em contato com a Comissão de Vestibulares e Concursos (Cvest) pelo e-mail concurso@reitoria.ifpe.edu.br ou pelo telefone (81) 2125.1613. Para mais informações sobre a convocação dos selecionados, o atendimento será feito pelo Departamento de Dimensionamento e Seleção de Pessoal através do fone: (81) 2125.1641.
Consulte o resultado ou acesse diretamente a página da Cvest.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

ASSISTA O PROGRAMA IGUARACY É NOTÍCIA DESTA SEMANA

Você já pode acompanhar o programa institucional do Governo Municipal de Iguaracy, "Cuidando do Futuro sem descuidar do Povo" realizado nesta última quinta-feira (12).
Os vídeos com o programa na íntegra são postados semanalmente, se você não pôde assistir em primeira mão pelo rádio, agora não terá como ficar desapercebido do que anda rolando de novidades em nosso município. O Programa Iguaracy é Notícia, é dirigido pelo radialista Roberto Murilo, e vai ao ar todas as quintas-feiras, a partir das 11:30 da manhã nas rádios Pajeú e Transertaneja Fm.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Nordeste: Quanto vale uma menina de 12 anos? Investigação denunciou a realidade de muias crianças e adolescentes

Quanto vale uma menina de 12 anos? Em Sergipe, pais negociaram a virgindade da própria filha com um homem de 57 anos em troca de uma vaca. O Repórter Record Investigação desta quinta-feira (12) revelou esta e outras histórias chocantes de meninas que são exploradas e se somam às quase 90 mil crianças que estão casadas no Brasil.
Em São Cristovão, cidade histórica de Sergipe, com quase 90 mil habitantes, criança tem preço. Na cidade, pessoas, inclusive autoridades, alugam chácaras com piscina pra passar finais de semana com adolescentes.
A menina, de mãos pequenas e de aparência frágil, foi vendida pelos próprios pais, exatamente aos doze anos e virgem.
José do Anjos, o comprador, 44 anos mais velho que a menina, o comerciante se defende: "Foi ela que se insinuou pra mim!" Ele tem uma vida simples. Não é rico, mas diante da situação financeira da maioria na cidade, é considerado por alguns como poderoso.Pelo menos duas vezes por semana, José dos Anjos tirava proveito da filha de José Carlos, um pequeno agricultor da cidade.
José dos Anjos / Crédito: Reprodução/R7
Foram no mínimo oito meses de violência até que o comerciante foi preso. No dia da prisão, há dois anos, José dos Anjos agiu como se não tivesse feito nada de errado.
A família da menina contou que eles eram ameaçados pelo comerciante. Quando José dos Anjos foi preso, a mãe da jovem estava tão apavorada que não quis mostrar o rosto.
Segundo o juiz de São Cristovão, a menina é mais uma vítima de uma visão preconceituosa e ultrapassada que ainda sobrevive. Ele conta que já evitou vários leilões de virgens. — Duas adolescentes, uma de 12, outra de 14 anos, foram vendidas a dois comerciantes. Virgens! Nós conseguimos chegar num sábado à tarde, 5h da tarde, e impedir a consumação.
A menina trocada por uma vaca não teve a mesma sorte. A Justiça não chegou a tempo. José Carlos e Dona Maria têm seis filhos. A adolescente, que foi vítima de abuso, é a mais velha e agora está com 14 anos. São oito bocas pra sustentar com a venda de vassouras de piaçava, que rende no máximo mil reais mensais.
A garota diz que a história que foi vendida para um homem não é verdadeira. "A história da vaca nunca aconteceu, eles inventaram. Não teve o comércio da vaca", afirma.
Mas não é isso que mostra o processo, que o programa obteve com exclusividade. Nele, o conselheiro tutelar Douglas Santana afirma que José Carlos, o pai da vítima, ganhou uma vaca do abusador.
O que não resta dúvidas é que os pais acabaram aceitando o abuso contra a filha. A mãe flagrou o que aconteceu e contou para o marido, mas ele não fez nada pela menina porque ela perdeu a virgindade. Na mentalidade dele, a garota não merecia mais ser protegida.
Para evitar a fuga da filha, ele até permitiu que a casa fosse construída no quintal das terras dele. O conselho tutelar afirma que a menina está grávida e investiga se ela continua sofrendo abusos sexuais
Segundo a organização Promundo, que fez uma pesquisa sobre "casamento na infância e adolescência no Brasil ", o país ocupa o quarto lugar no mundo em número de crianças casadas. São 66 mil meninas com idades entre 10 e 14 anos vivendo em uniões informais, 2600 crianças casadas oficialmente em cerimônias religiosas ou cartórios e por volta de 500 mil meninas que casaram aos 17 anos.
De acordo com a pesquisa, são cinco fatores que levam crianças a se casarem. Um deles é a imposição da própria família quando descobre que a filha engravida e/ou tem uma vida sexual ativa, mesmo a contragosto, como no caso da menina trocada pela vaca. Outro motivo seria garantir uma vida estável para as garotas e a família.
Depois da reportagem do Repórter Record Investigação, o pai da menina foi misteriosamente assassinado. A informação da polícia é que quatro homens apareceram, mandaram os filhos para dentro de casa e o mataram com um tiro na cabeça. Nada foi roubado. Os investigadores agora querem descobrir o real motivo do assassinato.
Crédito: Reprodução/Record/ Por R7

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Veja como foi a Sessão da última terça da Câmara de Vereadores de Iguaracy

Foi realizada na manhã da última terça-feira (10), a 13º Sessão Ordinária do primeiro período legislativo de 2016 da Câmara de Vereadores de Iguaracy e contou com as presenças dos vereadores Odete Soares Pereira (Presidente), Amaury de Oliveira Torres (1º Secretário), José Jorge da Silva (2º Secretário), Leonardo Lopes Magalhães (Neguinho de Irajaí), Simão Rafael de Vasconcelos, José Torres Lopes Filho (Zeinha), Fábio Alves Torres, Manoel Olímpio de Siqueira e Francisco de Sales Galindo Filho.
No início a presidente abriu a reunião, registrou presenças e autorizou o 1º secretário fazer a leitura da ata da sessão anterior e material do expediente. Em seguida, passou a palavra aos vereadores que aproveitaram o espaço para fazer requerimentos verbais.
Pelo vereador Fábio Torres, requerimento destinado ao executivo, solicitando a construção de rede de saneamento básico no Loteamento Novo Lar. (Aprovado)
Pelos vereadores Manoel Olímpio e Amaury Torres, requerimento destinado ao presidente da COMPESA, Roberto Cavalcanti Tavares, solicitando abertura de escritório da companhia no distrito de Jabitacá. (Aprovado)
Pelo vereador Francisco de Sales, requerimento destinado ao executivo, solicitando a limpeza da barragem da INARC, em parceria com a COMPESA, no distrito de Jabitacá. (Aprovado)
Dando sequencia a reunião, a presidente abriu o Grande Expediente com a palavra facultada aos inscritos. Todos os vereadores fizeram uso da fala e puderam fazer suas reivindicações. Em seguida foi aberta a fala as autoridades convidadas para responder questionamentos e prestar esclarecimentos a Casa e aos populares. Na pauta, discussão a cerca do abastecimento humano do Município, segurança pública, situação dos loteamentos, dentre outros assuntos de interesse público.
Atendendo o convite da Casa, compareceu a reunião o prefeito do Município, Francisco Dessoles Monteiro, o Comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar, Tenente Coronel Fábio Cézar de Souza Lins, e o Chefe do Setor de Distribuição da COMPESA, Washington Jordão.

Ao fazer uso da palavra, o chefe do Poder Executivo respondeu questionamentos dos vereadores e pontuou sobre os principais temas abordados na reunião. Inicialmente ele esclareceu sobre a responsabilidade dos loteamentos, mediante a estrutura dos empreendimentos.
Sobre a parceria entre a prefeitura e a Compesa, no sentido de fazer limpeza nas barragens e outros setores, o prefeito reafirmou a disponibilidade do Governo em contribuir com a empresa. Ele também esclareceu interrogações e sugeriu formas para que a companhia melhore o atendimento a população.

No quesito segurança, o prefeito disse estar preocupado com as ocorrências que tem sido registradas no município, pediu policiamento para jabitacá, falou do déficit na segurança, apelou por mais ações da polícia e reafirmou o apoio do Governo Municipal a corporação.

No uso da palavra o Te. Cel. Fábio Cézar de Souza Lins sintetizou sobre a atual condição do 23º batalhão e respondeu questionamentos do prefeito e dos vereadores. Ele se mostrou sensível à segurança pública de Iguaracy e Jabitacá, mas disse que o efetivo disponível no momento, que já conta com menos de 300 policiais, impossibilita a reinstalação do destacamento de Jabitacá ou o aumento do número de policiais na cidade de Iguaracy.
Ainda com referência a Jabitacá, o comandante disse que poderá destinar viaturas para fazer incursões no distrito em horários propícios aos crimes contra a vida e assaltos.

O representante da Compesa, Washington Jordão, respondeu todas as interrogações, esclareceu sobre o faturamento das residências e falou do trabalho operacional da companhia mediante a crise hídrica na região. De acordo com Jordão, a situação é de emergência e complexa, e a empresa tem sofrido problemas periódicos na adutora do Pajeú, mas que tem investido em melhorias para acelerar a chegada da água na sede e no distrito de Jabitacá.
Washington Jordão
Washington também falou da parceria com o Governo Municipal em diversas ações, dentre elas a melhoria das redes em setores da cidade onde o abastecimento tem falhado. Sobre a possibilidade de implantar um escritório de atendimento em Jabitacá, ele disse que a companhia não tem condições no dado momento de disponibilizar um funcionário para fazer o atendimento presencial.

Ao final a Presidente da Casa agradeceu a presença de todos e encerrou os trabalhos. Para acesso aos detalhes e a fala de cada vereador, abaixo você pode ouvir a gravação na íntegra.
A próxima sessão será realizada no dia 17 de Abril, terça-feira, a partir das 9h. Toda a comunidade está convidada a participar. Curta e acompanhe nossa página no Facebook:https://www.facebook.com/camaramunicipaldevereadoresdeiguaracy/?fref=ts
Mais informações sobre o Legislativo podem ser encontradas no portal eletrônico da Casa no endereço:http://camaraiguaracy.pe.gov.br/ (Assessoria de Comunicação)

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Nota da COMPESA sobre abastecimentos em Iguaracy, Jabitacá e Ingazeira

 
O Chefe da COMPESA de Iguaracy, Ubirani Rodrigues Lins, informa a população de Iguaracy, Jabitacá e Ingazeira, que por motivos de uma transferência de rede da adutora para atender uma necessidade da prefeitura de Tuparetama que irá construir uma pista de ciclismo justamente em cima de cerca de 400 metros onde se encontrava a adutora que liga Tuparetama a Iguaracy,  desta forma, a prefeitura pediu a Compesa para remover a adutora e direcionar por outro caminho e este serviço foi concluído no dia de ontem, (quinta/12). 
Ubirani disse que a partir desta sexta até o domingo, será abastecido 100% de Jabitacá, e a partir da próxima segunda-feira, no decorrer da semana, a Compesa irá abastecer também 100% da cidade de Iguaracy, bem como também 100% da cidade da Ingazeira.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Como será o julgamento de Dilma no Senado

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski (de toga), comandará o processo de impeachment de Dilma no Senado
O Senado Federal instaurou na manhã desta quinta-feira (12) o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que ficará afastada do cargo por até 180 dias. Neste período, o vice-presidente Michel Temer assume interinamente a Presidência da República.
A partir deste momento, começa a segunda fase do processo de deposição constitucional no Senado. Saiba como será realizado:
1) Presidente do STF assume a coordenação dos trabalhos no Senado
Em reunião na tarde desta quinta-feira (12), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), passou a condução do processo de impeachment para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, como determina a lei de impeachment (nº 1.079/1950). "Minha função será de coordenador do processo. Os juízes são os senadores", afirmou Lewandowski.
Lewandowski explicou que o julgamento do impeachment de Dilma no Senado terá, a partir de agora, dois momentos. O primeiro será destinado à produção de provas, diligências, debates entre acusação e defesa. O segundo será o do "julgamento propriamente dito". Segundo ele, Dilma poderá depor pessoalmente ou mandar um representante.
O primeiro ato de Lewandowski foi assinar o mandado de citação da presidente afastada Dilma Rousseff. De acordo com o ministro, ela terá até 20 dias para apresentar sua defesa prévia.
2) Início da Instrução da Comissão Especial de Impeachment do Senado
Nesta etapa deverá ser garantido à presidente afastada o direito à ampla defesa e ao contraditório. Ao final dos trabalhos, a comissão deverá apresentar um novo parecer. O prazo para conclusão do relatório será definido a partir das diligências necessárias, a exemplo das solicitações pela defesa e acusação de perícias e audiências de testemunhas. O ato final nesta etapa é audiência com a presidente afastada, que pode comparecer ou enviar um defensor para representá-la.
O parecer pela pronúncia (denúncia contra a presidente) deve ser levado ao plenário do Senado.
3) Votação da Pronúncia pelo Plenário do Senado
A sessão no plenário do Senado será presidida pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski. A votação é por maioria simples. Para ser aprovado, o relatório tem que ser aprovado pela metade mais um dos senadores presentes. Se rejeitada a denúncia, o processo contra a presidente será extinto, e ela volta ao assumir o cargo.
Caso seja aprovada a pronúncia, serão intimadas acusação e defesa para que apresentem novas alegações, em prazos sucessivos de 48 horas.
4) Remessa dos autos do processo ao presidente do STF
Apresentadas as alegações da acusação e da defesa, os autos do processo são remetidos ao presidente do STF, que define a data de julgamento e intima a presidente afastada.
5) Julgamento do pedido de impeachment
A sessão de julgamento no Senado Federal é comandada pelo presidente do STF. Para que a presidente Dilma Rousseff seja definitivamente afastada é preciso que, no mínimo, 54 dos 81 senadores aprovem o pedido de impeachment. A votação será nominal, isto é, cada senador será chamado a declarar publicamente seu voto.
Em caso de condenação, Dilma Rousseff será automaticamente destituída do cargo, e o vice-presidente Michel Temer assume a Presidência da República até o dia 31 de dezembro de 2018. Dilma também ficará oito anos inelegível e proibida de exercer cargo público.
Caso isso não aconteça, a presidente é considerada absolvida e reassume o mandato imediatamente.
Do UOL

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Iguaracy: Mulher e filha de ex-presidente da Câmara invadem prédio e agridem assessora

Esposa e filha do vereador Francisco de Sales (foto) teriam agredido assessora por ciúmes
Em Iguaracy, uma confusão generalizada foi registrada na Câmara de vereadores, na Rua Antônio Santana. Uma assessora de 22 anos, identificada pela polícia com as iniciais G. P. P. S. foi agredida pela esposa e filha do vereador Francisco de Sales, ex-presidente da Câmara.
Elas adentraram na Câmara de Vereadores, invadiram a sala da assessora, a trancaram e a agrediram com tapas no rosto, palavrões e ainda cortaram seu cabelo, deixando o local em seguida.
Nem o Vereador nem a Presidente da Casa, Odete Baião, ainda se pronunciaram sobre o episódio. Francisco de Sales chegou a presidir a casa no biênio 2013-2014. A polícia informou em seu boletim que faz diligências para localizar as acusadas. O episódio repercute na cidade. (Informações do Nill Júnior)

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...