PREFEITURA

xxxxxxxxxxxx

Projeto Abraçando a Escola, do MPPE, chega a Afogados da Ingazeira

Reduzir os índices de evasão escolar na rede estadual de ensino, diminuir as tensões entre alunos e professores e construir uma consciência cidadã entre a juventude estudantil. Esses são alguns dos objetivos do projeto Abraçando a Escola, que o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) tem levado a várias cidades do Estado.
Em Afogados da Ingazeira, o projeto recebeu no Auditório da Fafopai alunos da rede pública e teve a participação do promotor Lúcio Luiz de Almeida Neto e do promotor Agnaldo Fenellon, que já foi procurador-geral de Justiça do Estado e é idealizador do projeto, fruto de convênio de cooperação técnica firmado em 2015 entre o MPPE e a Secretaria de Educação do Estado, além de prefeituras municipais, viabilizando a execução do projeto, que conta ainda com parcerias do Poder Judiciário, Defensoria Pública e Secretaria de Defesa Social.
Houve apresentação feita pelo idealizador do projeto e promotor de Justiça Aguinaldo Fenelon. Em tom motivacional, o idealizador do Abraçando a Escola enfatizou que “eu também fui menino pobre, estudei em escola pública no interior com grande dificuldade e consegui me tornar promotor de Justiça. Vocês também podem vencer na vida, ser professor, médico, juiz. Depende da força de vontade de cada um. Para isso, se dediquem aos estudos com mais vontade”.
O projeto consiste na realização de palestras motivacionais e sobre temas importantes e atuais, como bullying, disciplina escolar e atos infracionais, prevenção ao uso das drogas e racismo e o extermínio da juventude negra. “Foi uma experiência muito rica com alunos e professores. Uma delas parabenizou pelo fato de o projeto ouvir quem realmente faz acontecer a educação. As atividades terão sequência”, destacou Lúcio Almeida.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Nove cidades de PE dão exemplo de paz com homicídio zero, destaque fica para Ingazeira.

Com a violência no Brasil já podendo ser vista como uma epidemia, nove cidades pernambucanas conseguem ir na contramão dessa realidade atual, e estão chegando a setembro sem que tenha sido registrado sequer um assassinato em seu território este ano, mais uma vitória do monitoramento constante do Pacto pela Vida. Entre elas, o destaque fica para Ingazeira, a 390 quilômetros do Recife, que integra a Área Integrada de Segurança 20 – AIS-20, da região da Diretoria Integrada do Interior 2 – Dinter 2.
Fundada a 534 metros de altitude em 1820, às margens do Rio Pajeú, Ingazeira, tem forte tradição religiosa e sua população conta com a proteção do padroeiro da cidade, São José. Em um clima tropical semiárido, suas temperaturas que podem chegar a 18º durante os meses de maio a agosto.
No quadro abaixo, veja as nove cidades com homicídio zero até o momento, este ano:

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Tomar aspirina a cada três dias reduz risco de infarto, aponta pesquisa

O ácido acetilsalicílico (AAS), conhecido como aspirina, é utilizado para prevenir o infarto, a doença vascular periférica ou o acidente vascular cerebral (AVC). No entanto, o uso constante e diário da aspirina costuma provocar complicações gastrointestinais nestes pacientes. Mas um estudo desenvolvido por pesquisadores brasileiros concluiu que tomar aspirina a cada três dias pode ser tão eficiente quanto na prevenção dessas doenças e também evita as complicações gastrointestinais causadas pelo uso diário do medicamento.
O estudo foi coordenado por Gilberto De Nucci, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). “De uns 35 anos para cá, verificou-se que a aspirina tem um efeito benéfico seja no tratamento do infarto seja como profilaxia do infarto. O problema de usar aspirina é que ela tem um efeito colateral importante, causando irritação no estômago. Essa irritação pode não dar sintomas e o paciente pode apresentar uma hemorragia gástrica”, explicou.
O que se fazia até então para reduzir esses efeitos colaterais, segundo De Nucci, era reduzir a dose de aspirina. “Toda a literatura [médica] dos últimos 35 anos procurava reduzir a dose de aspirina para minimizar o risco da hemorragia gástrica. Mas demonstramos a segurança desse sistema terapêutico”, disse. “Tem pacientes que não tomam aspirina, e que deveriam tomar, porque [a aspirina] apresenta risco de hemorragia muito alto. Mas agora demonstramos que esse esquema terapêutico é tão benéfico quanto os anteriores com a vantagem demonstrada de não causar nenhuma irritação”, ressaltou.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Caminhão do exército era usado por militares para transportar toneladas de maconha no MS

Militares do Exército Brasileiro trocaram tiros com investigadores da Divisão Estadual e Narcóticos (DENARC) de São Paulo durante a interceptação de um caminhão também do Exército com a carga de aproximadamente três toneladas de maconha, na madrugada deste domingo (28), na Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, na SP-101, Estrada de Campinas em São Paulo. O carregamento vinha do estado do Mato Grosso do Sul.
 
De acordo com o blog local, Colanagrade, dois militares foram presos, e um terceiro foi ferido por um dos disparos e conseguiu fugir, mas foi capturado na manhã de hoje na cidade de Cordeirópolis (SP), cerca de 60 km do local do tiroteio onde a droga foi apreendida. Os presos são do 20 Regimento de Cavalaria Blindada de Campo Grande (MS). A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, ainda não emitiu nota sobre o caso.
Os presos foram escoltados por Policiais Civis e militares da Polícia do Exército de Campinas (SP). Ocorrência encaminhada para a sede do DENARC, em São Paulo.
Em nota à imprensa local, o Comando Militar do Sudeste informou o nome dos militares envolvidos.
Leia a íntegra da nota:
 
“Em relação aos fatos demandados por este órgão de Imprensa , o Comando Militar do Sudeste esclarece que : Por volta de 1:40h do dia 28 Ago 2016, um Caminhão do Exército Brasileiro, pertencente ao 20 Regimento de Cavalaria Blindado ( 20 RCB), Campo Grande, Mato Grosso do Sul, foi detido na Região de Campinas , São Paulo, com os Cabos Higor Abdala Costa Attene e Maykon Coutinho Coelho , tendo ainda se evadido um terceiro Militar, identificado como Simão Raul, também do 20 RCB. Há indícios de que os referidos militares estariam transportando drogas. Será aberto um Inquérito Policial Militar para a apuração dos fatos.
O Comando Militar do Sudeste esclarece que tanto o tráfico de drogas, bem como o seu porte e consumo são crimes militares capitulados no Código Penal Militar.”
Blog BocaNews

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...