Mostrando postagens de Outubro 5, 2016Mostrar tudo

IFPE oferece mais de 4,7 mil vagas na 1ª entrada do Vestibular 2017

O Vestibular 2017.1 do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), que oferece 4.746 vagas, traz duas novidades para os interessados em estudar na instituição. Além do aumento do número de vagas no processo seletivo — 806 a mais que o total ofertado na primeira entrada deste ano —, dois novos cursos superiores foram disponibilizados: engenharia mecânica, no Recife, e engenharia elétrica, em Garanhuns e Pesqueira, no Agreste. As inscrições devem ser feitas exclusivamente na internet no período de 10 de outubro a 3 de novembro.
Os detalhes da seleção foram anunciados em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (4). Até então oferecido apenas no Campus Caruaru, o curso de engenharia mecânica terá 35 vagas também na capital pernambucana.
Já o curso de engenharia elétrica é inédito na instituição e foi criado com o objetivo de atender uma demanda do Agreste pernambucano. Para primeira entrada, serão oferecidas 40 vagas para o Campus Garanhuns, por meio do Vestibular. Outras 40 vagas serão abertas no CampusPesqueira, no segundo semestre, via Sistema de Seleção Unificado (Sisu).
Para os cursos superiores, são 1.243 vagas para cursos como design gráfico, turismo, agroecologia, análise e desenvolvimento de sistemas, além de engenharias, llcenciaturas e bacharelados em diversas áreas.
Há, ainda, 1.299 vagas em cursos na forma de articulação integrada, para quem deseja aliar a formação técnica às disciplinas do Ensino Médio; 2.060 na subsequente, para os que já concluíram o Ensino Médio; e 144 na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), para quem tem mais de 18 anos e não concluiu o Ensino Médio.
O Vestibular 2017.1 é válido para os 16 campus do IFPE, além de sete polos de Educação a Distância: Limoeiro, Águas Belas, Surubim, Palmares, Sertânia, Santa Cruz do Capibaribe e Pesqueira.
As provas acontecerão no dia 27 de novembro e terão 30 questões de múltipla escolha, para os cursos técnicos, e 50 para os cursos superiores — neste último caso, os candidatos também terão que fazer uma redação. A data prevista para divulgação do listão com o nome dos aprovados é 19 de dezembro.
Para se inscrever, os candidatos devem acessar o site da Comissão de Vestibulares e Concursos do IFPE, preencher a ficha de inscrição e emitir o boleto, no valor de R$ 25 para cursos técnicos e R$ 50 para cursos superiores. O pagamento deve ser feito somente nas agências do Banco do Brasil até o dia 4 de novembro. A inscrição é gratuita para os que concorrerão às vagas dos cursos oferecidos na modalidade Proeja.
Cotas e isenção
Metade das vagas do Vestibular 2017.1 do IFPE é oferecida pelo sistema de cotas e reservada para candidatos oriundos da rede pública de ensino. No momento da inscrição, esses candidatos poderão optar por subcotas de renda, para quem tem renda familiar per capta de até um salário mínimo e meio, ou de etnia, voltadas para negros, pardos e índios.
Ainda há cotas para moradores da zona rural ou filhos de agricultores que optem por cursos com vocação agrícola. Neste caso, a reserva é de 25% das vagas de ampla concorrência (não cotista). “Os alunos que vêm do campo também têm uma cota específica nos três campus de vocação agrícola: Vitória de Santo Antão, Barreiros e Belo Jardim”, destaca a reitora do IFPE, Anália Ribeiro.
Podem solicitar gratuidade na inscrição os candidatos com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio, oriundos de escolas públicas, bolsistas de escolas privadas e egressos de programas como o Mulheres Mil e o Proifpe. A solicitação deve ser feita até o dia 13/10 na internet.
A entrega da documentação exigida deve ser feita no campus que oferece a vaga pretendida, no período de 10 a 14/10, das 9h às 12h e das 14h às 17h. A lista dos contemplados com a isenção será divulgada no dia 18/10. Todos os candidatos que conquistarem a isenção já estarão automaticamente inscritos no Vestibular 2017.1.
Do G1

Criança foge de casa e é vítima de estupro no Agreste de PE, diz PM

Um homem de 32 anos foi detido em flagrante nessa segunda-feira (03) suspeito de estuprar um menino, de oito, na antiga Estação Ferroviária, localizada no Centro de Caruaru, Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, as câmeras de monitoramento da Secretaria de Defesa Social (SDS) conseguiram capturar o momento do abuso sexual.
O delegado Eduardo Sunaga – responsável por registrar a ocorrência – informou que o criminoso foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável. “As imagens da câmera são muito claras. É possível ver o momento no qual o suspeito aborda o menino e comete o crime”, disse.
Acionada, a polícia foi até o local e deteve o criminoso, que foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil junto com a vítima. A mãe da criança informou à PM que o menino havia fugido de casa. O suspeito será apresentado em audiência de custódia para decidir para qual unidade prisional ele será levado. (G1)

Orçamento enviado ao Congresso prevê novas vagas para o Fies, diz MEC

O Ministério da Educação (MEC) garantiu nessa terça-feira (04) a continuidade do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e disse que a abertura de novas vagas em 2017 está garantida no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) enviado ao Congresso Nacional.
"O orçamento do próximo ano prevê a manutenção dos alunos que estão no Fies este ano e um acréscimo de algumas vagas a mais para o próximo ano no Fies", disse a secretária Executiva do MEC, Maria Helena Guimarães.
Ela não adiantou quantas serão as novas vagas, nem se o número será menor que este ano. "A abertura de novas vagas vêm caindo, a cada ano. Em 2014, a abertura de novas vagas no Fies foi muito grande, em 2015 teve uma queda extraordinária, em 2016, uma queda maior ainda, apenas com a iniciativa do ministro de conseguir mais recursos é que foi possível abrir 75 mil vagas a mais agora no segundo semestre desse ano", afirmou.
De acordo com o MEC, as vagas para 2017 ainda serão pactuadas com as instituições e a previsão orçamentária do Fies na PLOA 2017 é de R$ 19,9 bilhões.
Renovações: Desde julho, quando costumam renovar as matrículas, os estudantes não conseguem acessar o sistema do Fies. De acordo com o Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp), o bloqueio atinge 1.863.731 alunos de 1.358 instituições particulares de ensino. Segundo a entidade, os repasses referentes a certificados do Fies somam cerca de R$ 5 bilhões.
O MEC diz que a atual gestão encontrou o Fies sem orçamento para o pagamento da taxa de administração dos agentes financeiros do sistema, responsáveis pela contratação e aditamentos do fundo.
Para cobrir esses custos, são necessário mais de R$ 800 milhões, segundo o MEC, o que levou a pasta a enviar um projeto de Lei (PL 8/2016) ao Congresso para garantir o orçamento necessário para este fim.
O projeto de lei concede crédito suplementar ao Orçamento da União em favor do MEC no valor de mais R$ 1,1 bilhão para reforço de dotações constantes da Lei Orçamentária vigente

Greve dos bancários chega à quarta semana sem acordo em Pernambuco

A greve dos bancários entrou na quarta-semana nesta terça-feira (4), ainda sem previsão de acordo no estado. Em Pernambuco, uma nova assembleia foi realizada na noite da última segunda-feira (3) e a categoria decidiu manter o movimento até que uma nova proposta da Fenaban seja apresentada para discussão. Para a presidente do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues, não há explicação para a negativa dos banqueiros.
"Infelizmente não há retorno da Fenaban. Os banqueiros continuam intransigentes. Não vemos uma explicação econômica, se os lucros são tão exorbitantes. Se fosse uma questão financeira, tinha justificativa, mas todos os balanços mostram lucros. Nós estamos batendo as metas. Então, acreditamos que exista alguma motivação política por trás dessa negativa, por que não há explicação econômica para isso", argumentou Suzineide.

Justiça determina funcionamento de quatro agências bancárias no Recife, e pode estender para o interior

A Justiça determinou o funcionamento de quatro agências bancárias no Recife para o pagamento dos alvarás dos cidadãos e advogados. A decisão foi deliberada pela juíza da 11ª Vara do Trabalho, Mariana de Carvalho Milet, em audiência de conciliação realizada nesta terça-feira (04), no Recife. No encontro, estiveram presentes representantes dos bancários, dos bancos e da Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE).
A decisão judicial prevê o funcionamento das agências da Caixa Econômica Federal no Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6), do Fórum do Recife, da Justiça do Trabalho de Jaboatão e da Justiça do Trabalho do Recife, a partir desta quinta (06), no horário das 10h às 12h.
O funcionamento é exclusivo para atender os alvarás expedidos pelos órgãos do Poder Judiciário Estadual e do Poder Judiciário Federal. A medida também será aplicada para o interior do Estado assim que forem identificadas as agências que estão descumprindo a decisão.
Na própria audiência, a juíza convocou nominalmente os funcionários que estarão trabalhando nas unidades, ficando com o Sindicato dos Bancários a responsabilidade de organizar os funcionários sindicalizados e com os bancos os não sindicalizados.

São Francisco: problemas de sempre, mas com esperança

O rio São Francisco comemora hoje 515 anos de descoberto enfrentando os problemas de sempre, mas com um alento: a perspectiva de revitalização, por força de um programa recentemente anunciado pelo governo federal e que veio atender a um pleito que marca a própria trajetória do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) em seus 15 anos de vida.
O vice-presidente do colegiado, Maciel Oliveira, ribeirinho do município alagoano de Penedo, destaca que, ao contrário de anos anteriores, quando o cenário em relação ao Velho Chico era desanimador, “a perspectiva da revitalização é um ganho fundamental. Principalmente, porque o governo federal anunciou que deverá desenvolver as ações de recuperação levando em conta com o que consta no Plano de Recursos Hídricos, documento desenvolvido e recentemente aprovado pelo Comitê para subsidiar a gestão da bacia do São Francisco”.
Oficialmente, o rio São Francisco foi descoberto no dia 4 de outubro de 1501, quando o navegador florentino Américo Vespúcio navegou em sua foz. Um dos mais importantes cursos d’água da América do Sul e do País, o Velho Chico banha cinco estados e 505 municípios. A população na região da bacia hidrográfica representa cerca de 10% do quantitativo nacional.

Vigário Geral da diocese diz que aumento dos vereadores de Afogados é imoral e que o prefeito agiu como Pilatos

O vigário geral da diocese de Afogados da Ingazeira, Monsenhor João Carlos Acioly Paz, criticou o aumento de salários por parte dos vereadores de Afogados da Ingazeira. O Monsenhor falou na manhã desta terça (4) na Rádio Pajeú e chegou a chamar de imoral e exorbitante o aumento aprovado pela Casa. “Nós não somos competentes para julgar o mérito até porque eles são competentes pra fazer a Lei e que realmente não se trata de um ato ilegal, mas que não podemos dizer que num momento desse de crise no comércio, num momento de crise da sociedade, num momento de crise do funcionalismo público que estão com os salários congelados, então vem o Legislativo e tem a ousadia de forma silenciosa dá o aumento a eles próprios de 50%, mesmo somando com a explicação da inflação, isto é irreal para a nossa realidade governamental. Amo todos, mas acho isso uma imoralidade um aumento deste dentro dessa conjuntura que nós estamos vivendo”, disse o Monsenhor, citando que subir o salário em 50% dentro de nossa realidade brasileira pra o Legislativo é muito privilégio.
Ainda sobre o aumento, o Vigário Geral da diocese disse que ficou surpreso quando leu uma entrevista do prefeito reeleito, José Patriota, quando o mesmo disse que não tinha competência para vetar o aumento e disse que o prefeito agiu como Pilatos. “Eu lia no seu blog (Nill Jr) que Patriota dizia que não compete ao governo que ele não precisa fazer igual Serra Talhada em que precisa da sanção do município se esse é o termo. Ora, isso não é resposta que se dê ao povo, isso é resposta que se explica numa sala, mas dá uma resposta dessa é se comportar como Pilatos de lavar as mãos. Eu acho que diante dessa situação Serra Talhada foi privilegiada porque caiu nas mãos do prefeito antes das eleições e ele ficou numa saia justa e ele teve que vetar, ele foi inteligente, diferente da situação daqui”, disse João Carlos.
O Monsenhor ainda disse que não é pelo fato que o prefeito não possa vetar que a sociedade nesse momento não poderia se mobilizar para sensibilizar os legisladores para que voltem esse aumento.
Para finalizar, o Monsenhor falou que após tudo isso, ficou pensando na Autarquia de Afogados da Ingazeira, caso os funcionários fossem pedir um aumento de 50% haveria muitos discursos citando a crise e que não seria possível o aumento desejado. (Afogados On Line)