Autor de livro sobre ideologia de gênero: “Eu estava errado”

Professor também afirmou que entendia as coisas parcialmente
Nos últimos 20 anos, o professor Christopher Dummitt, presidente do Departamento de Estudos Canadenses da Universidade de Trent, no Canadá, tentou provar que a masculinidade e feminilidade são construídas socialmente. Ele escreveu, para provar a sua tese, o livro O Homem Moderno: Masculinidade nos Anos do Pós-Guerra e lá afirmava que a identidade sexual é uma construção social baseada no poder, acarretando na opressão e desigualdade.
Atualmente, ele admitiu que errou em seus estudos, que houve fraudes e que não esperava tamanha repercussão em seus escritos sobre o tema.
– Agora minha grande ideia está em todo lugar. Isso aparece especialmente nos pontos de discussão sobre direitos de trans e políticas relacionadas a atletas trans no esporte. Está sendo escrito em leis que ameaçam essencialmente repercussões para quem sugere que o sexo pode ser uma realidade biológica (…) uma crítica detalhada sobre por que eu estava errado na época e por que os construcionistas sociais radicais estão errados agora. Certa vez, argumentei os mesmos argumentos que eles agora apresentam e, portanto, sei como eles estão enganados – disse o professor.
Dummitt também afirmou que tem vergonha dos seus escritos, que estava errado e que entendeu as coisas parcialmente.
– O problema é: eu estava errado. Ou, para ser um pouco mais preciso, entendi as coisas parcialmente. Mas então, para o resto, eu basicamente inventei. Todo mundo estava inventando (e está). É assim que o campo dos estudos de gênero funciona – disse o professor.