Marcos Valério aponta Lula como "mandante" da morte de Celso Daniel.

Em depoimento ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP), o empresário Marcos Valério afirmou que o ex-presidente Lula foi um dos mandantes do assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, morto a tiros em 2002.
Por ter sido sequestrado antes de ser morto, a Polícia Civil sempre tratou o caso de Celso Daniel como um crime sem motivação política. No entanto, Marcos Valério surgiu agora para contar outra versão.
O empresário contou ao MP-SP que o ex-deputado federal do PT Professor Luizinho disse a ele que “Celso Daniel topou pagar com recursos da prefeitura a caravana de Lula pelo país, antes da eleição presidencial de 2002, mas não teria concordado em entregar a administração à ação de quadrilhas e àqueles que visavam ao enriquecimento pessoal”.
Ainda segundo Marcos Valério, o empresário Ronan Maria Pinto, que participava de um esquema de cobrança de propina na prefeitura de Santo André, começou a chantagear a cúpula do PT. Após pagar a chantagem, Marcos Valério disse a Lula que iria resolver a situação.
Após isso, Ronan passou a exigir mais dinheiro do partido, sob a ameaça de entregar Lula como o mandante da morte do ex-prefeito. Nas palavras de Valério, Ronan ia “apontá-lo como cabeça da morte de Celso Daniel”.
O assassinato do ex-prefeito da cidade de São Paulo é alvo de inúmeras teorias. Enquanto a polícia acredita se tratar de um crime comum, o Ministério Público suspeita de motivação política, em razão das evidências de que havia esquema de propina em Santo André.
Caso o depoimento de Marcos Valério seja verídico, de acordo com publicação da Veja, a morte do prefeito teria o objetivo de esconder que a prefeitura funcionava como uma ferramenta do PT para financiar campanhas políticas e propinas. O novo depoimento, embora não traga uma prova concreta, colocou, novamente, holofotes sobre o caso.
Clique aqui e leia a matéria na íntegra da Veja: