'Vamos continuar dando o peixe, mas vamos ensinar a pescar', diz ministro sobre Bolsa Família

O ministro da Cidadania Osmar Terra (MDB) anunciou, em entrevista à Rádio Jornal, nesta sexta-feira (20), que sua pasta busca parcerias com o Sistema S para oferecer cursos técnicos para jovens de famílias que recebem Bolsa Família, mas que nem estudam, nem trabalham. "Vamos continuar dando o peixe, mas vamos ensinar a pescar", falou Terra, acrescentando que o benefício pode ser aumentado caso estes jovens aumentem suas chances de conseguir emprego com o ensino profissionalizante.
"O governo tem certeza de que sozinho o Bolsa Família não tira as pessoas da pobreza. O programa as ajuda a se manter em condições mínimas de qualidade, mas elas continuam muito pobres, continuam precisando do programa para se alimentar. Por isso, vamos continuar dando o peixe, mas vamos ensinar a pescar", pontuou Osmar Terra.
Renda Brasil
De acordo com o ministro Osmar Terra, cerca de 4,6 milhões de jovens entre 18 e 29 anos, que são membros de famílias beneficiárias do Bolsa Família não estudam, nem trabalham. "Uma tragédia" nas palavras do ministro. Para solucionar o governo Bolsonaro vai buscar parcerias com o Sistema S e espera lançar um novo programa para ajudar esses jovens no primeiro semestre de 2020. Escolhido para imprimir a marca do governo Bolsonaro na área social, o novo programa se chamar Renda Brasil.
"É importante que esses jovens tenham apoio para trabalhar e estudar, pois só assim eles poderão melhorar sua qualidade de vida e da sua família. Por isso, vamos buscar parceira com o Sistema S para oferecer cursos técnicos e profissionalizantes para esse público", disse Osmar Terra. "Não temos muitos detalhes ainda, porque o programa ainda está em estudo e queremos lançá-lo ainda no primeiro semestre de 2020", completou.
Terra explicou também que, caso os jovens busquem se profissionalizar, aumentando suas chances de conseguir um emprego, a família vai receber um acréscimo no benefício e o jovem não perderá o direito de recebê-lo ainda que consiga emprego, durante dois anos. "Caso eles aumentem suas condições de ensino para conseguir uma profissão, a família receberá um adicional no benefício e, caso tenha a carteira assinada vai poder continuar no Bolsa Família por mais dois anos", explicou
Estímulos para crianças
O ministro também anunciou que há a previsão de famílias cujos filhos estejam matriculados em escolas e que tenham boas notas tenham um aumento no beneficio mensal do programa de transferência de renda.
"Vamos dar estímulos às famílias para elas saírem da pobreza. Entre esses estímulos queremos aumentar um pouco mais o beneficio de famílias que tenham seus filhos matriculados em escolas e que eles tenham boas notas", falou. (Via: Jc Online)