Paulo Câmara terá ‘central de inteligência’ para tocar reforma das estradas estaduais orçada R$ 505 milhões

 
O Governo do Estado, através do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), finalizou uma licitação para escolha de uma consultoria para “apoio técnico e operacional ao processo de gerenciamento do Programa Caminhos de Pernambuco, com a implantação e operação de uma central de inteligência dentro do âmbito de gestão do DER-PE”.
Pela concorrência, estão sendo escolhidas duas empresas para prestar estes serviços de consultoria e criação desta “central de inteligência” para monitorar as obras nas rodovias estaduais orçadas em mais de meio bilhão de reais.
As duas empresas vão receber R$ 10 milhões pelos serviços.
A concorrência foi finalizada em 12 de fevereiro pelo presidente do DER, Maurício Canuto.
Programa foi lançado em 2019
O programa “Caminhos de Pernambuco” foi lançado pelo governador Paulo Câmara (PSB) em maio de 019.Na época, o Governo do Estado prometeu gastar R$ 505 milhões para requalificar dois mil quilômetros em rodovias estaduais no primeiro ano de programa, ou seja, até maio de 2020.
A oposição, na Assembleia, duvidou “um pouco” do tamanho do programa.Em outubro de 2019, o deputado estadual Wanderson Florêncio (PSC) questionou as ações do Programa Caminhos de Pernambuco.
“Precisamos conferir o que está sendo feito e avaliar a qualidade do serviço, se é condizente ao preço que está sendo pago. Por enquanto, o que vemos são verdadeiros remendos que só deixam as vias ainda mais perigosas, um descaso com o dinheiro público”, lamentou.
O parlamentar sugeriu, na época, a realização de uma blitz pela Bancada de Oposição para fiscalizar as obras já realizadas. A sugestão foi prontamente acatada pelo então líder do grupo, deputado Marco Aurélio (PRTB). Hoje ele deu um salto solto e está do lado do governo, depois de conseguir eleger um dos filhos vereador no Recife.
“Podemos ir além: devemos levar a denúncia ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público. Recapear asfalto com concreto não é fazer serviço mal feito, é um crime”, observou, então.
Outros deputados, na época, reforçaram as críticas ao programa.
“O Caminhos de Pernambuco não é para recuperar as estradas, ele visa ao marketing eleitoral do PSB”, disse Antonio Coelho (DEM), na época.
Segundo uma fonte no Estado, sob reserva, decorrido 21 meses do lançamento do Programa, não há ainda um balanço oficial do que foi executado no “Caminhos de Pernambuco”.