Com déficit de 126 mil doses, governo de PE diz que municípios devem usar estoques para finalizar vacinação contra Covid

O governo de Pernambuco informou, nesta segunda (26), aos municípios que os estoques que restaram da Coronavac devem ser usados, prioritariamente, como segunda dose. A recomendação é completar os esquemas vacinais já iniciados contra a Covid-19. O estado informou que o déficit de imunizantes chega a 126 mil doses.
As informações foram repassadas durante reunião entre representantes da Secretaria Estadual de Saúde e dos municípios pernambucanos, na Comissão Intergestores Bipartite (CIB). O governo também definiu como serão aplicadas as doses para quem tem doenças-pré-existentes.
O governo disse que a falta de doses está prejudicando a finalização do esquema vacinal. Nesta segunda, Igarassu, no Grande Recife, e Petrolina, no Sertão, suspenderam a campanha por falta de doses.
Sobre o uso dos estoques, o estado afirmou que “a recomendação foi necessária já que a última remessa do imunizante encaminhada pelo Ministério da Saúde (MS) veio aquém do esperado”.
Na sexta-feira (23), Pernambuco recebeu 91.600 doses a menos do que o esperado, segundo o secretário de saúde André Longo.
Na reunião desta segunda, o estado disse que, “caso não haja estoque, os gestores municipais devem fazer o agendamento para quando uma nova remessa chegar, prevista apenas para maio”.
De acordo com o governo, “é imprescindível que, quando houver o imunizante, seja feita a segunda aplicação, garantindo a imunidade”.
Outra definição anunciada nesta segunda foi sobre as ações futuras. “Com esse problema na distribuição da vacina da Coronavac/Butantan pelo governo federal, também ficou decidido que, nas entregas futuras, Pernambuco dividirá os imunizantes para ambas as doses”, afirmou o estado, por meio de nota.
Fonte: G1