Juiz manda devolver à União R$ 120 milhões da Lava Jato

Imagem abaixo de agosto de 2017 com exposição inusitada do dinheiro recuperado pela Lava Jato e exposto no calçadão de Curitiba simbolizando os R$ 4 bilhões da grana desviada por políticos e empreiteiros e recuperado através da Operação Lava Jato na época.

O juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, determinou a devolução aos cofres da União de um vultoso montante recuperado pela operação.
No despacho, o juiz da 7ª Vara Federal Criminal assinou um despacho liberando a transferência de R$ 120,4 milhões para uma conta do governo da Caixa Econômica Federal.
Também nesta terça-feira, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal começou a analisar a competência da 7ª Vara para julgar as ações da Operação Esquesa S, uma ramificação da Lava Jato no Rio.
O inquérito investiga possíveis desvios na Federação do Comércio do Rio (Fecomércio-RJ) e em unidades do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço de Aprendizagem Comercial (Senac) no estado do Rio. A apuração de irregularidades surgiu com base na delação premiada do ex-presidente da Fecomércio Orlando Diniz.
O ministro Gilmar Mendes, relator da ação no STF, votou para anular todos os atos processuais e decisões de Bretas. Já o ministro Nunes Marques pediu vista. O julgamento segue sem data definida para ser retomado.
Segundo o BBC News em março de 2018, ao completar quatro anos da Lava Jato, o montante calculado pela força-tarefa a ser ressarcido aos cofres públicos era de R$ 44,4 bilhões. A soma é pleiteada nas diversas ações judiciais propostas por procuradores federais, mas devolver todo dinheiro às vítimas pode levar décadas
A Lava Jato completa quatro anos e, a essa altura, o montante calculado pela força-tarefa a ser ressarcido aos cofres públicos é de R$ 44,4 bilhões. A soma é pleiteada nas diversas ações judiciais propostas por procuradores federais, mas devolver todo dinheiro às vítimas pode levar décadas.