Representante dos doadores do terreno para construção da Quadra da Caatingueira relembra críticas da oposição e diz que conquista se faz com trabalho.

Daniela Fernandes, ao lado do pai "Dimas da Caatingueira", representou a família Ferreira e lembrou do patriarca da família conhecido por Manoel Ferreira e que este sempre contribuiu com muita boa vontade para com a comunidade, sempre quis ver a mesma crescer.
Daniela disse que em nome de todos os filhos que foram de acordo com a doação do terreno, e em nome de seu pai Dimas que foi o intermediário, disse que o que tinha a falar é que a Quadra Poliesportiva Edjemmy Silva Santos é uma grande conquista para a comunidade, e que mesmo em meio a pandemia, um momento muito complicado, o prefeito conseguiu concluir a obra e que agora todos estavam tendo a oportunidade de estarem reunidos comemorando e celebrando o feito.
A jovem disse que o desejo era que a Banda da Escola São Vicente estivesse se apresentando e fazendo as honras da inauguração, porém não foi possível, em razão da pandemia. 

Daniela agradeceu ainda ao ex-deputado João Fernando Coutinho pela emenda e fez questão de lembrar ainda dos comentários injustos que a obra sofreu durante a campanha política do ano passado, onde disseram que não seria uma quadra e sim um campo de bater feijão. "Hoje tenho o orgulho de dizer que conquista se faz com trabalho e que as palavras ditas foram em vão, quando se trabalha se ver resultados e é o que a comunidade está vendo no momento", disse. 

Na época da assinatura da ordem de serviços, o prefeito Zeinha fez questão de agradecer a Dimas e seus familiares enaltecendo a doação: "Só estamos assinando esta ordem de serviço porque a família de Dimas realizou a doação deste terreno", disse. 
O prefeito na época disse ainda que o terreno ao lado da escola se tornou inviável e que só não perdeu o prazo da Caixa graças a doação do novo terreno pela família de Dimas da Caatingueira. 
Veja a matéria da época:
Veja a matéria da inauguração: