PRF arrecada R$ 474 mil em leilão com 295 veículos recolhidos no Agreste e Sertão de Pernambuco

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), através da Comissão Regional de Gestão de Pátios e Leilão, realizou o arremate de 295 veículos do tipo sucata e conservados em plataforma digital. Os carros e motocicletas estavam em pátios de uma empresa conveniada para prestação do serviço de recolhimento e guarda, localizados nos municípios de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, Arcoverde e Serra Talhada, no Sertão do estado.
Foram arrecadados mais de R$ 474 mil, que serão revertidos aos cofres públicos para a quitação de despesas de leilão e de pátio, incluindo guincho e estadia dos veículos apreendidos, além dos tributos vinculados ao prontuário do antigo proprietário. As sessões foram realizadas através da internet e conduzida pelo leiloeiro oficial, enquanto os participantes ofertaram lances em tempo real.
A Comissão de Leilão presidida pela servidora Joana Brandão, e pelos servidores Abioséias Marinho e Camila Gomes, que têm realizado um trabalho de excelência à frente da unidade.
Desde que assumiu as funções, a equipe tem conseguido reduzir de forma significativa a quantidade de veículos recolhidos nos pátios, através de leilões realizados periodicamente em toda a regional. A operacionalização dos leilões de veículos recolhidos nessas cidades é consequência da aplicação de medidas administrativas previstas na Lei nº 9503/97, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Entre os veículos recolhidos, estão alguns avariados, recuperados, acidentados e/ou abandonados ao longo das rodovias federais, sob circunscrição da Superintendência da PRF e em áreas de interesse da União, e parte das sucatas podem ser reutilizadas ou recicladas por empresas do ramo de desmontagem.
A realização dos leilões contribui ainda para a segurança viária, já que os veículos sem condições de trafegabilidade são retirados das rodovias, além de evitar a degradação ambiental, propagação de doenças e pragas. Além disso, a execução dos leilões contribui para a manutenção do equilíbrio financeiro e econômico dos contratos de remoção e pátios terceirizados, evitando a superlotação dos depósitos.