Bolsonaro critica valor de R$ 5,7 bilhões para fundo eleitoral; chance de veto é incerta

O presidente Jair Bolsonaro criticou neste domingo (18) a aprovação no Congresso do valor de até R$ 5,7 bilhões para o “fundão” eleitoral, dentro da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022.
Ele não afirmou se irá sancionar ou vetar a proposta, mas deu pistas sobre o seu posicionamento. As declarações foram dadas em entrevista coletiva na saída do hospital onde o presidente estava internado em São Paulo.
“Eu sigo a minha consciência, sigo a economia, e a gente vai buscar dar um bom final pra isso tudo aí. Afinal de contas, eu já antecipo: seis bilhões pra fundo eleitoral? Pelo amor de Deus”, declarou Bolsonaro.
O presidente ainda afirmou que toda a população é prejudicada com esse valor destinado às campanhas eleitorais e que “o bom parlamentar não precisa de dinheiro para fazer campanha”.
Defesa de parlamentares que votaram a LDO
Na mesma entrevista, Bolsonaro saiu em defesa de parlamentares que, segundo ele, estão sendo atacados injustamente por terem votado favoravelmente à Lei de Diretrizes Orçamentárias. O valor destinado ao “fundão” é parte da LDO.
“Teve a votação da LDO, que interessava para o governo. Em um projeto enorme, alguém botou lá dentro essa casca de banana ou essa jabuticaba”, afirmou Bolsonaro.
O presidente ainda agradeceu aos parlamentares que aprovaram a LDO e disse que eles estão sendo “acusados injustamente de ter votado o “fundão”.
Além dos partidos do Centrão, que compõem a base do governo no Congresso, a votação do fundo eleitoral contou com o apoio de deputados e senadores bolsonaristas.
Fonte: Gazeta do Povo