Jornalistas afegãos são espancados pelo Talibã: ‘Pensei que iam me matar’

Dois jornalistas foram espancados por integrantes do Talibã quando cobriam uma manifestação em Cabul, no Afeganistão, nesta última quarta-feira (08). O grupo deteve Taqi Daryabi, um fotógrafo de 22 anos, e Nematullah Naqdi, um cinegrafista de 28 anos, por quatro horas e os espancou brutalmente. As informações são da AFP.
Os combatentes talibãs, que patrulham a cidade desde que o movimento islâmico assumiu o controle da capital em meados de agosto, atacaram Nematullah assim que ele começou a filmar. “Disseram-me que era totalmente proibido filmar. Prenderam todos os que estavam filmando, levaram os telefones”, narra à AFP.
A manifestação havia acabado de começar. Apenas algumas dezenas de mulheres estavam presentes em defesa do direito ao trabalho e ao estudo, uma das principais reivindicações dos protestos anti-Talibã que ocorreram nos últimos dias em várias cidades do país.
Os talibãs tentaram tomar a câmera de Nematullah, que conseguiu escapar e a entregou discretamente a um manifestante. Mas foi perseguido e levado à força para a delegacia.
“Os talibãs começaram a me insultar, me bater, me chutar”, lembra. Eles então o colocaram em uma sala vazia. “Eram quatro ou cinco”, diz. “Amarraram minhas mãos nas costas, me deitaram no chão e me espancaram com paus, cabos e canos”, descreve.
“Eu gritava, dizia que era jornalista, mas eles não ligavam. Me chutaram na cabeça, destruíram minhas costas … Durou uns 10 ou 15 minutos. Eu pensei que morreria”, lembra.
Nematullah acabou sendo levado a uma cela onde cerca de 15 pessoas estavam. Ali encontrou Taqi, preso e espancado da mesma forma e em estado de choque, com a cabeça ensanguentada.

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232