Auxílio Brasil: 40% dos mais pobres no CadÚnico ficam fora do programa


Maior, a parcela da população socialmente mais vulnerável apressou-se após o anúncio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de um programa que, na esteira do Auxílio Emergencial, já desidratado em 2021, traria às famílias pagamentos de R$ 400. A realidade, no entanto, impõe outro ritmo. Esta quarta-feira (17) marca o início do Auxílio Brasil, com pagamentos médios de R$ 217 e sem data certa para dobrar o valor. Mais de 14,6 milhões de famílias começam nesta quarta-feira (17) a sacar alguma quantia. O número parece superlativo, mas deixa de fora muita gente. Ao todo, o Cadastro Único tem 24.578.491 famílias em extrema-pobreza, pobreza e de baixa renda, mas 9.923.783 milhões delas (40%) não estão elegíveis a receber o Auxílio Brasil neste primeiro momento, já que não estavam no Bolsa Família.
Os dados são do próprio governo federal, dos meses de setembro e outubro de 2021, e constam nas plataformas da Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação. Levando-se em conta apenas esse recorte de renda, em Pernambuco, 33,9% dos em extrema-pobreza, pobres e de baixa renda ficam de fora do programa. Por aqui, estão no Cadastro Único com os perfis de renda citados 1.805.385 famílias. O Bolsa Família já atende 1.191.718.

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232