Modelo que chamou Putin de “psicopata” é encontrada morta em mala

A modelo russa Gretta Vedler, de 23 anos, foi vítima de assassinato cometido pelo próprio namorado, Dmitry Korovin, 23. De acordo com o jornal britânico The Mirror, o episódio ocorreu há 1 ano, mas o rapaz confessou o crime nesta semana, quando o corpo foi encontrado.
Conforme investigação, a modelo foi colocada dentro de uma mala após Dmitry dormir com o cadáver dela por três noites em um hotel. O casal teria brigado em Moscou por causa de dinheiro, o que motivou o rapaz a estrangulá-la.
Dmitry dirigiu até a região de Lipetsk e deixou o corpo dentro da mala, no porta malas do carro, por um ano. Nas redes sociais, o sujeito seguia compartilhando fotos da modelo, fazendo os amigos dela acreditarem que Gretta ainda estava viva.
Porém, um amigo da russa suspeitou das aparições na internet e comunicou a polícia sobre um possível desaparecimento. Foi aí que as buscas se deram.
Antes de morrer, Gretta protestava contra o regime de Vladimir Putin na Rússia. Ela usava as redes para fazer críticas ao presidente, e chegou a chamá-lo de “psicopata” em algumas ocasiões.

Betano: Apostas Esportivas - Faça seu Jogo Online

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232