PE: Sobe para 132 número de mortes provocadas pelas chuvas em PE; óbitos são confirmados no Agreste e Mata SuL

O governo de Pernambuco confirmou, nesta terça (05), mais duas mortes provocadas pelas fortes chuvas que ocorrem no estado desde o fim de maio. Com isso, subiu para 132 o número total de óbitos após os temporais.
As duas mortes ocorreram no sábado (02) e domingo (03), depois que chuvas fortes caíram sobre o Agreste e a Mata Sul do estado. Segundo o governo, as vítimas são dois homens.
O primeiro deles, é Elísio Corrêia Costa, de 64 anos, que foi levado pela correnteza enquanto tentava desentupir bueiros no município de Iati, no Agreste. Ele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) onde passou por perícia e foi identificado.
O segundo óbito é "possivelmente" de Alex Fernando da Costa, o servidor público de 20 anos que estava desaparecido em Jaqueira, na Mata Sul. O corpo encontrado na manhã desta terça-feira (5) ainda será periciado e identificado oficialmente.
Além dos dois, um homem segue desaparecido. É José Roberto da Silva, de 34 anos, que sumiu no último sábado, no município de Catende, também na Mata Sul.
As cidades com mais mortes desde as chuvas do último dia 25 de maio ainda estão na Região Metropolitana do Recife (RMR), onde 130 pessoas já tinham morrido até o início de junho.
Foram 64 óbitos em Jaboatão dos Guararapes; 50 no Recife; 7 em Camaragibe e 6 em Olinda. Além disso, ocorreu uma morte em cada um dos municípios de Limoeiro, Bom Conselho, Paulista, Jaqueira e Iati.
O número de municípios afetados pelas fortes chuvas no estado subiu para 42. São eles: Águas Belas, Água Preta, Altinho, Angelim, Barreiros, Belém de Maria, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçado, Capoeiras, Canhotinho, Catende, Correntes, Cortês, Escada, Gameleira, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jaqueira, Jucati, Jurema, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Maraial, Palmares, Palmerina, Panelas, Paranatama, Quipapá, Rio Formoso, Saloá, São Benedito do Sul, São Bento do Uma, São Joaquim do Monte, São João, São José da Coroa Grande, Tamandaré, Terezinha e Xexéu.
Só no Agreste e na Mata Sul, passa de 10 mil a quantidade de pessoas que teve de deixar suas casas. São 1.446 desabrigados e 8.640 desalojados, segundo os números da Defesa Civil estadual.
A orientação para quem mora nas cidades onde tem chovido de forma intensa é não ultrapassar as áreas inundadas e alagadas e seguir todas as determinações das defesas civis municipais, principalmente nas áreas ribeirinhas.
Ainda de acordo com o G1 PE, em 2010, o governo do estado prometeu construir cinco barragens para evitar enchentes na região. Até agora, apenas uma ficou pronta, a de Serro Azul, em Palmares. O estado promete retomar as obras de outras duas até o fim deste ano.